Resenha: "O lago das sanguessugas", de Lemony Snicket

25 Aug 2017

O lago das sanguessugas
Desventuras em Série, livro 03
Lemony Snicket
Editora Seguinte
192 páginas
"Caro leitor,
Se você ainda não leu nada sobre os órfãos Baudelaire, é preciso que antes mesmo de começar a primeira frase deste livro fique sabendo o seguinte: Violet, Klaus e Sunny são legais e superinteligentes, mas a vida deles, lamento dizer, está repleta de má sorte e infelicidade. Todas as histórias sobre essas três crianças são uma tristeza e uma verdadeira desgraça, e a que você tem nas mãos talvez seja a pior de todas. Se você não tem estômago para engolir uma história que inclui um furacão, uma invenção para sinalizar pedidos de socorro, sanguessugas famintas, caldo frio de pepinos, um horrendo vilão e uma boneca chamada Perfeita Fortuna, é provável que se desespere ao ler este livro. Continuarei a registrar essas histórias trágicas, pois é o que sei fazer. Cabe a você, no entanto, decidir se verdadeiramente será capaz de suportar esta história de horrores.

Respeitosamente,
Lemony Snicket"

O Lago das Sanguessugas, é o terceiro livro da saga Desventuras em Série, narrado pelo narrador personagem Lemony Snicket - que diz ser responsável por contar a história triste e cheia de desventuras dos Órfãos Baudelaire. Desde o primeiro volume, somos alertados sobre o conteúdo dessa história, de como a vida dos órfãos - Violet, Klaus e Sunny - não passa de uma imensa maré de azar. Acontece, que as três crianças ficaram órfãos e sem abrigo, pois perderam seus pais e a casa onde moravam para um incêndio. Dessa forma, a vida dos três virou responsabilidade do Sr. Poe, bancário da família e agora responsável por encontrar um tutor para os três.



No primeiro e segundo volume da série, as tentativas de um novo lar para os Baudelaire foram frustradas. Infortúnios, azar, morte e todas essas desgraças ligadas a uma só pessoa: Conde Olaf, o terrível vilão que sonha em tornar-se tutor das crianças apenas para colocar suas mãos na fortuna que lhe fora deixada pelos pais. Nesse volume, Violet, Klaus e Sunny, conhecem tia Josephine, sua mais nova tutora. Com esperança de dessa vez conseguirem morar em um lugar adequado, com alguém que pudesse lhes oferecer amor e os cuidados que toda criança necessita, logo decepcionaram-se.


Tia Josephine morava em uma casa suspensa no alto de um monte, parecendo prestes a despencar no lago que encontrava ao redor da propriedade - O lago das sanguessugas. Viúva e extremamente medrosa, a nova tutora dos Baudelaire se mostra péssima, pois seu medo é tanto que até uma refeição quente lhes é negada. O motivo? Medo de usar o fogão. Apesar de tudo, as crianças tentavam sentir-se gratas, afinal, agora tinham um lugar para morar e alguém para olhar por eles. Mas claro, se falando dos órfãos Baudelaire, tudo estava bom demais para ser verdade - apesar dos pesares. Em uma viagem até o supermercado eis que surge o capitão Sham, com características de um pirata e até uma perna de pau, mas só convenceu a tia Josephine, pois logo de cara as crianças já sabiam que se tratava de conde Olaf, mais uma vez querendo roubar a fortuna que lhes pertencia.

Em meio a muita confusão, furacão, chuva, sanguessugas e resgate em alto mar, as crianças sofrem para desmascarar o novo personagem criado por conde Olaf. A leitura é bem leve e rápida, como nos primeiros volumes, com uma linguagem fácil e que agrada do mais jovem ao idoso. Apesar de as vezes sentir vontade de gritar com os adultos - já que as crianças são as únicas com bom senso da série - é uma aventura gostosa de ler e que em um dia livre é possível devorar.



Leia também os outros volumes da série:
Desventuras em Série #1: Mau Começo
Desventuras em Série #2: A Sala dos Répteis

***

Livro oferecido através de parceria com a Editora.

0 comentários:

Post a Comment