Resenha: "Um estranho numa terra estranha", de Robert A. Heinlein

Um Estranho numa Terra Estranha
Robert A. Heinlein
Editora Aleph
569 páginas
Valentine Michael Smith é um humano criado em Marte. Ao ser trazido à Terra, ele entra em contato pela primeira vez com seus iguais e se esforça para entender os costumes, a moral e as regras sociais que definem os estranhos terráqueos. Em meio a diversas barreiras, o homem de Marte se esforça para grokar esse mundo tão alienígena a ele, enquanto procura explicar à humanidade seus próprios conceitos fundamentais, bem como suas concepções de amor e respeito.

Ler esse livro foi uma experiência bem louca e eu tinha que começar essa resenha deixando isso bem claro. Um estranho numa terra estranha, é um livro bem diferente de tudo que já li. Conta a história de Valentine Michael Smith, um humano que nasceu em Marte. Isso aconteceu quando astronautas foram a Marte em uma tentativa de mostrar ser possível a estadia de terráqueos por lá. O que aconteceu é que mesmo após muitos estudos sobre que tipo de pessoas seriam adequados para esse teste em outro planeta e vários casais serem selecionados - sendo eles das mais diversas profissões - o inesperado aconteceu. Uma das astronautas acabou engravidando de um dos seus colegas e não de seu marido. A confusão foi tamanha que algumas pessoas acabaram morrendo, porém Smith nasceu e foi criado pelos marcianos.




Só depois de muitos anos, Smith já sendo um homem, outra nave foi mandada à Marte e foi uma grande surpresa para o governo e para a NASA a existência de Smith, que passou a ser conhecido como "O homem de marte". Com a permissão dos marcianos e a vontade dos astronautas e do próprio Smith, eles o levaram à terra, onde o governo tentou deixá-lo recluso. Porém, Ben Caxton - jornalista e super interessado em ser o primeiro a entrevistar o homem de marte - convence Jill - uma enfermeira que trabalhava no hospital onde Smith se recuperava - a tirá-lo das garras do governo e deixá-lo decidir sobre sua própria vida.



Em meio a muita confusão, Mike Smith tenta compreender seus iguais humanos, ou "grokar" como ele se expressava. Tudo é extremamente diferente na terra - os costumes, as regras, etc - e para Mike foi um alívio encontrar pessoas como Jill, Ben e principalmente Jubal que por ser médico, advogado e ter bastante dinheiro, conseguiu ajudá-lo dizendo ser seu advogado e responsável por ele, além de ensiná-lo tudo que conhecia, desde a falar a língua corretamente à entender religião, filosofia, amor, sexo e tudo aquilo que para Mike era novo e estranho.

"- Bobagem! Jill, de todas as asneiras que distorcem o mundo, o conceito de altruísmo é a pior. As pessoas fazem o que querem, todas as vezes. Se elas sofrem ao fazer uma escolha, se essa escolha parece ser um "sacrifício"; você pode ter certeza de que não é nobreza maior que o desconforto causado pela ganância... a necessidade de escolher entre duas coisas quando você não poder ter ambas. O sujeito comum sofre toda vez que escolhe entre gastar um tostão em cerveja ou guardar a grana para os filhos, entre se levantar para ir trabalhar ou perder o emprego. Só que ele sempre escolhe o que machuca menos ou delicia mais. O vigarista e o santo tomam as mesmas decisões em uma escala maior. (...)"




O livro trás muitas reflexões sobre o que é certo e errado e principalmente discussões sobre religião e o que entendemos sobre quem é Deus. É uma leitura mais difícil, com termos e filosofias que são necessárias maior atenção para que captemos a mensagem como ela deve ser captada. De suma, é um livro que além de trazer uma história fictícia muito bem elaborada e de tirar o fôlego, nos deixa muitas mensagens para refletir e procurar entender o que ainda não encontramos respostas nesse mundo em que vivemos.

***

Livro oferecido através de parceria com a Editora.

Post a Comment