Resenha: "Tempestade de Cristal", de Morgan Rhodes

Tempestade de Cristal
A Queda dos Reinos, volume 05.
Morgan Rhodes
Editora Seguinte, 2017
408 páginas
Mítica está sob o controle do Império Kraeshiano, mas talvez nem o amor mais puro consiga combater a mais forte das magias.

Amara, a implacável imperatriz de Kraeshia, assumiu o trono de Mítica, e um sentimento de incerteza paira sobre Paelsia, Limeros e Auranos. Então Magnus e Cleo procuram um jeito de retomar o poder. Assim, acabam seguindo Gaius até a casa de Selia, sua mãe exilada. A avó de Magnus é uma bruxa poderosa que pode ajudar a liberar a magia dos cristais da Tétrade e recuperar Mítica. Mas, para concretizar seus planos, a família Damora deverá se juntar ao rebelde Jonas e o grupo formado por Nic, Felix e o misterioso Ashur ressuscitado.

Enquanto isso, grávida de um Vigilante e temida por todos, Lucia foge do deus do fogo e viaja em busca de Gaius e Magnus. Mas o tempo está acabando. A tempestade iminente indica que a profecia sombria de que o Vigilante Timotheus falou está se aproximando. O destino da feiticeira está traçado, e inclui ninguém menos que o rebelde Jonas.
Nem dá para acreditar que em 2013 comecei a ler essa série; no quarto ano de espera chegamos no quinto e penúltimo livro da série A Queda dos Reinos e a única coisa que posso fazer é me indagar com: como que essa série fica melhor a cada volume? A cada novo livro aumenta ainda mais a vontade de chegar e não chegar no desfecho, porque é uma história que nos deixa extasiado, mas que também não queremos que acabe. Recomendo ler as outras resenhas (no final do post) para se habituar a história e para não ganhar spoilers, se ocorrer nas linhas a seguir.

Os livros de Rhodes, pelo menos dessa série, tendem a recapitular o que acontece nos últimos volumes: fazendo com que a história comece exatamente de onde parou no volume anterior, contudo, dessa vez temos uma passagem dezessete anos antes da busca da Tétrade, quando o Rei Sanguinário, Gaius, ainda não havia recebido o este título. Com a volta no tempo, temos a possibilidade de saber o que aconteceu no passado e como será importante esmiuçar o passado para tomar medidas no presente.
“Meu coração ficou destruído quando pensei que tinha perdido você para sempre. Deveria tê-lo incluído em meus planos, mas eu estava com medo, muito medo.”
É perceptível que a autora, por mais direita que sempre foi, coloca algumas boas páginas na sua história somente para prolongar o fim (ou vender um pouquinho mais), então temos diálogos realmente longos e voltas com mais voltas para chegar em lugar algum - o que em determinado momento começa a deixar o leitor estressado -, o livro se torna digerível rapidamente, não havendo fatos minuciosos e que exigem tanta atenção assim. 



Mas o que sempre me chamou atenção nos livros da Morgan Rhodes foi seus personagens ora excêntricos ora tão comuns quanto a você e a mim, sempre ressalto que os personagens deixam essa trama incrível. Dessa vez Cleo e Magnus chamam atenção, finalmente o romance entre eles fica aparente ainda que com alguns percalços, essas são as melhores cenas do quinto volume e talvez é justamente por esse motivo que Magnus ganhou tanto foco enquanto outras coisas ocorriam no reino.

Enfim, é uma série que recomendo para todos que gostam de fantasia e algo similar a Game of Thrones: arranca lágrimas, frusta e criar muitas expectativas. Por mais que o quinto livro tenha enrolado um pouco mais a história, ainda é válido pois viajamos no tempo e conhecemos o passado de alguns personagens.



Leia também sobre os outros livros da série:
A Queda dos Reinos #1: A Queda dos Reinos
A Queda dos Reinos #2: A Primavera Rebelde
A Queda dos Reinos #3: A Ascensão das Trevas
A Queda dos Reinos #4: Maré Congelada

***

Livro oferecido através de parceria com a editora.

Post a Comment