Memórias — Maio, 2017

Memórias é aquela postagem de final de mês, onde ficam guardadas as boas (e porquê não as ruins?) memórias que valem a pena contar ou simplesmente refletir e agradecer. Se quiser, segue lá no instagram (@igormedeiroz@igormedeiroz) para ver mais fotinhas (selfies são bem raras)!





Estou surpreso com a quantidade de pessoas que leem esse tipo de postagem e até me pedem para escrever (ninguém pede, mas a gente faz de conta que pede sim). Mas infelizmente não trago tanta coisa nessa quinta edição de dois mil e dezessete, porque se tinha uma coisa que eu queria desse Maio era que ele passasse rápido.

Se passou rápido, já não mais sei. A expectativa do término deste mês fez com que levasse os dias numa rotina sem fim, sem fazer grandes coisas. Já aconteceu você criar um próprio sacrifício para depois se dar ao luxo? Por exemplo, você está muito afim de ler um livro porém tem dois abandonados na estante (que você começou e não terminou), então decide acabar com os não finalizados para depois se dar ao luxo de ler um livro muito desejado. Crio essas situações em diversos casos, como comer só depois de arrumar o quarto ou mexer no celular somente após colocar as roupas para bater na máquina. Se é saudável? Eu não sei, provavelmente não, ou sim, fico muito em dúvida, porque 1. faço o que tenho que fazer de qualquer forma e 2. me dou a alegria de ter conseguido o meu prêmio (comer).

Então Maio foi o meu mês de "finalizar coisas" para poder viver melhor no mês seguinte, porém (risos) me arrependi de alguma forma, não aquele arrependimento de "ó meu deus perdi a oportunidade da minha vida" e sim de "eu poderia ter aproveitado melhor", porque, assim, a lógica no parágrafo acima é até legal para coisas pequenas e urgentes. Fazer essa experiência de abrir mão de um mês inteiro, me fez perceber que não existe muito um método para viver, quero dizer, não posso e nem deveria viver um mês-mais-ou-menos para viver o próximo com mais afinco, são 30 dias inteirinhos sem proveito ou vividos pela metade.

Porém, não quer dizer que todos os meus dias não foram proveitosos. Na primeira semana do mês fiquei internado. Enquanto fiquei hospitalizado lidei com muitas histórias (acho que vou escrever sobre isso em breve) de pessoas bem diferentes de mim, foi incrível, mas também um pouco triste, acho que hospitais sempre tem aquele quê melancólico.

Para recuperar a semana parada dentro do hospital, um amigo resolveu me chamar para ir ao parque da cidade e brincar um pouco - isso me fez lembrar desde a última vez que fui ao parque para me divertir, nossa, fazia bastante tempo que não colocava um pouco de adrenalina nas veias.


Finalmente finalizei a primeira etapa do TCC (já havia falado dele aqui)  e mais um semestre da faculdade terminou, agora só me falta mais seis meses e fim. É engraçado como nos últimos meses a falta de coragem e a vontade de se formar ficam disputando dentro da gente - fico contando os dias para jogar o capelo pra cima e dormir até mais tarde.

Merci. 

_DEIXE UM COMENTÁRIO

Post a Comment