16.4.17

Não compre qualquer chocolate



Agora que comecei a escrever esse texto, estou comendo o chocolate qualquer que comprei no começo da semana. A ideia de escrever esse texto me veio ontem, quando comi o primeiro pedaço de um chocolate que nem gosto tanto assim, porque ele é doce demais ao leite e eu prefiro chocolates amargos. E fiquei pensante ao estar comendo um chocolate que nem me atrai tanto assim, mas ter comprado mesmo assim para comer outro dia

Comprar um chocolate que não é o meu favorito me fez perceber como tenho levado as coisas no automático, como tenho pagado coisas, como tenho dado os mesmos bom dias, como tenho apenas vivenciado uma repetição finita das mesmas coisas. Consigo perceber que o chocolate é, agora, todas as coisas que compro ou deixo de comprar, não estou falando de coisas comestíveis por mais que seja taurino, estou falando das coisas que a gente decide comprar: como uma briga na fila de ônibus, como uma amizade baseada em negócios ou um relacionamento sem gosto.

Essas palavras não são sobre arrependimento por ter comprado o chocolate errado, pelo contrário, são palavras de quem olha para a própria decadência, de não conseguir filtrar as coisas que entram ou saem da minha vida. Algum dia iremos comprar um chocolate qualquer quase sem perceber, por estarmos arrasados com a vida, com os problemas mundiais ou por cansaço. O chocolate pode ser um amor meio bosta, uma amizade sem açúcar que você arrasta dentro da bolsa para o momento de diversão, um chocolate que não te preenche e nem te deixa satisfeito.

Quantos de nós já não comprou um chocolate errado por não conseguir escolher ou por não pensar direito? Você pode até palpitar: "chocolate é tudo a mesma coisa", mas sabemos que não: Hershey é diferente de Alpino, que é diferente de chocolate Belga, que é diferente de Garoto. E existe sempre um que a gente gosta mais, não tem como falar "qualquer um, por favor", (1) porque você está pagando e (2) você pode escolher. Quando tiver a oportunidade de escolher, como eu tive, escolha o chocolate que goste mais, o amargo no meu caso.

Escolha quanto é tempo, não compre um chocolate qualquer, não compre três que não goste por estar em promoção. Compre o que você quer, porque sem dúvidas, isso te fará bem.

Um comentário

  1. Mas que analogia maravilhosa! Faz super sentido, Igor!
    Quando a gente pensa "vou comprar esse chocolate caro porque eu mereço isso", a gente está valorizando a nós mesmos! Mas comer o barato é quase como aceitar qualquer coisa porque não podemos nos dar ao luxo de algo que nos agrada. Parabéns pelo texto! Me fez refletir muito na minha própria vida, que bom que passei aqui. Não vou mais deixar de vir!
    Aliás, que saudade da blogosfera! :D
    Beijos.

    ResponderExcluir

© setecoisas.com.