E não foi pelas quantidades de vezes que te amei que acabou

10 Apr 2017


Eu que já pensava que não havia mais motivos para seguir com essa vida, não estou dizendo que você é o motivo, mas você foi um dos motivos. Chegou numa hora que estava cega, que precisava de atenção, então você veio com uma conversa meio sem graça, que ri por educação. Você forçou mais do que imaginei, estava empenhado em me conquistar naquela noite e se eu desse uma chance poderia até conhecer o cara legal que você é. E eu dei.

Fui surpreendida por aquele sorriso branco e uma mão quente, que abraçou meu corpo e minha alma. Aos poucos as conversas se prolongaram na semana, nos finais de semana, renderam alguns meses. Os beijos tomaram perspectiva e também surgia um silêncio entre a gente, um silêncio que parecia necessário; porque isso existe, não ter assunto, mas eu estava ali presente, mesmo que abrindo a conversa e tornando-a fechar naquela rede social que hoje se encontra desativada. 

O silêncio, uma vez, se prolongou por dias, até virar semanas. Parece abrupto, mas essa é a verdade, com nesse texto. Percebi que a mão quente estava fria e o sorriso mais apagado, você queria ir. E eu queria te amar, queria que você estivesse na manhã gelada de domingo ou na sexta a noite, quando eu chego cansada do trabalho ou estressada por causa da faculdade. E quanto mais você se distanciava, mas eu queria lhe trazer para perto, para onde eu estava, para onde eu poderia tornar seguro para você e, para mim.

Você se afugentou nas desculpas dos problemas caseiros, da correria diária, da falta de dinheiro. Mas a sua resposta ao meu amor era o seu silêncio, eu sabia. E não foi porque o amei demais, porque doei-me demais que acabou. Com o seu silêncio, aprendi que amar você é o problema meu e não lhe diz respeito. Porque amar o seu cabelo quando você acorda ou o cheiro da sua pele quando você sai do banho, o jeito como você folheia a revista ou como faz ondinhas enquanto dirijo porque você bebeu na festa de aniversário da minha amiga da quinta série. Porque amar você, secretamente, jamais faria com que você fosse embora. 

E por amar você e amar seu jeito estúpido de fazer antes de pensar, não consigo lhe prender a mim. Porque eu jamais seria feliz se você estivesse aqui apenas por minha causa. Não sei se um dia você irá voltar, espero que não volte. Porque estou arrumando os furos que você deixou, preenchendo minha rotina que você preenchia e encontrando alguns velhos amigos.  

Sinto que estou pronta para me deixar ir, em meses, para acabar com o silêncio que guardei para o meu amor. Um amor grande, por sinal, que você quase silenciou um dia, será dado a alguém que o queira ouvir.

0 comments:

Post a Comment