Resenha: "Uma Canção de Ninar", de Sarah Dessen

13 Mar 2017

Uma Canção de Ninar
Sarah Dessen
Editora Seguinte, 2016
380 páginas
Remy não acredita no amor. Sempre que um cara com quem está saindo se aproxima demais, ela se afasta, antes que fique sério ou ela se machuque. Tanta desilusão não é para menos: ela cresceu assistindo os fracassos dos relacionamentos de sua mãe, que já vai para o quinto casamento. Então como Dexter consegue fazer a garota quebrar esse padrão, se envolvendo pra valer? Ele é tudo que ela odeia: impulsivo, desajeitado e, o pior de tudo, membro de uma banda, como o pai de Remy — que abandonou a família antes do nascimento da filha, deixando para trás apenas uma música de sucesso sobre ela. Remy queria apenas viver um último namoro de verão antes de partir para a faculdade, mas parece estar começando a entender aquele sentimento irracional de que falam as canções de amor.
Existem duas pessoas que escrevem romances e que têm me deixado com expectativas a cada lançamento, primeiro é a Jennifer Niven (você pode conferir a última resenha que escrevi clicando aqui) e segundo vem Sarah Dessen que mais uma vez, não tanto como no primeiro livro que li, me deixou de pé aplaudindo uma história tão entusiasmante. Sou uma pessoa bem ligada a música, então, ao ler uma história de personagens também ligado a essa arte, me fez sentir prestigiado numa leitura engajada em música e sensações.

 Dessen tem o costume de trabalhar com temas que a cada dia deixam de ser tabus e se tornam cada vez mais normais, porém que muitos autores evitam de abordar, talvez por não ser algo totalmente agradável de ser lido. Mesmo abordando temas relativamente pesados, sua linguagem e característica na escrita continuam amenizando os impactos, tornando leve e realmente prazeroso: saber que pessoas passam por realidades como aquela e conseguem ultrapassar barreiras.


Sarah Dessen escreve, dessa vez, sobre uma garota com uma vida complicada dentro casa; uma jovem desacreditada no amor (será que não é o que acontece com todos os jovens atualmente?) e sobre uma garota que tenta ser insensível.  Com o tempo é mostrado como o amor - seja de amigo, família, namorado... - tem  o poder de curar qualquer coisa e a qualquer momento. Percebemos que nem sempre um sorriso é uma felicidade e que não vamos conseguir manter sempre longe dos medos que nos aterrorizam.


Resolvi escrever uma resenha curta e não falar muito de história, porque ela pode ser lida na sinopse. Gostaria mesmo era de deixar minha recomendação para os títulos escritos por essa autora, eles contém doses de realidade e fazem perceber que todo problema tem solução, que evitar e prorrogar não é de fato o certo, porque uma hora ou outra teremos que enfrentar isso. O livro é, claramente, focado em um romance, mas acho que se estende apenas como um palco secundário, onde as outras coisas que acontecem com Remy, a protagonista, são as que realmente devemos perceber - e aprender.

0 comments:

Post a Comment