Resenha: "Toda Poesia", de Paulo Leminski

Toda Poesia
Paulo Leminski
Companhia das Letras
424 páginas
Paulo Leminski foi corajoso o bastante para se equilibrar entre duas enormes onstruções que rivalizavam na década de 1970, quando publicava seus primeiros versos: a poesia concreta, de feição mais erudita e superinformada, e a lírica que florescia entre os jovens de vinte e poucos anos da chamada “geração mimeógrafo”.
Ao conciliar a rigidez da construção formal e o mais genuíno coloquialismo, o autor praticou ao longo de sua vida um jogo de gato e rato com leitores e críticos. Se por um lado tinha pleno conhecimento do que se produzira de melhor na poesia - do Ocidente e do Oriente -, por outro parecia comprazer-se em mostrar um “à vontade” que não raro beirava o improviso, dando um nó na cabeça dos mais conservadores. Pura artimanha de um poeta consciente e dotado das melhores ferramentas para escrever versos.
Entre sua estreia na poesia, em 1976, e sua morte, em 1989, a poucos meses de completar 45 anos, Leminski iria ocupar uma zona fronteiriça única na poesia contemporânea brasileira, pela qual transitariam, de forma legítima ou como contrabando, o erudito e o pop, o ultraconcentrado e a matéria mais prosaica. Não à toa, um dos títulos mais felizes de sua bibliografia é Caprichos & relaxos: uma fórmula e um programa poético encapsulados com maestria.
Este volume percorre, pela primeira vez, a trajetória poética completa do autor curitibano, mestre do verso lapidar e da astúcia. Livros hoje clássicos como Distraídos venceremos e La vie en close, além de raridades como Quarenta clics em Curitiba e versos já fora de catálogo estão agora novamente à disposição dos leitores, com inédito apuro editorial.
O haikai, a poesia concreta, o poema-piada oswaldiano, o slogan e a canção - nada parece ter escapado ao “samurai malandro”, que demonstra, com beleza e vigor, por que tem sido um dos poetas brasileiros mais lidos e celebrados das últimas décadas. Com apresentação da poeta (e sua companheira por duas décadas) Alice Ruiz S, posfácio do crítico e compositor José Miguel Wisnik, e um apêndice que reúne textos de, entre outros, Caetano Veloso, Haroldo de Campos e Leyla Perrone-Moisés, Toda poesia é uma verdadeira aventura - para a inteligência e a sensibilidade.

Eis o meu primeiro contato com a poesia de fato. Nunca havia lido um livro inteiro de poesias, apesar de sempre curtir os trechos famosos de poetas como Clarice Lispector, Caio Fernando Abreu e tantos outros que nos deparamos internet à dentro. Minha maior surpresa foi encontrar alguns dos meus trechos favoritos de poemas nesse livro incrível que é o Toda Poesia, de Paulo Leminski. Acontece que nem sempre os quotes que lemos por aí são creditados corretamente e me surpreendi lendo coisas belíssimas do poeta.



Essa edição reúne toda a poesia já publicada por Paulo Leminski, todos os seus livros que hoje são clássicos da literatura brasileira reunidos em um só volume. Apesar de ser meu primeiro contato com esse tipo de leitura, pude deliciar-me com a intimidade do autor com as palavras. Os poemas não falam unicamente de amor, muito pelo contrário, a maioria dos poemas relatam situações diversas, de reflexões profundas de Leminski sobre tudo que o rodeava. Muitos poemas tive que reler algumas vezes e mesmo assim, não pude compreender o sentido de todos, porém, acredito que toda poesia tem um pouco disso. Acredito que o poeta nos dá a chance de enxergar com nossos olhos o que sua alma lhes revela, de forma que podemos compreender de um ponto de vista diferente do poeta, sendo essa a maior beleza que encontrei. É possível que ao ler um desses poemas eu encontre um significado e você outro. Ou, que determinado poema, me toque profundamente enquanto o mesmo não lhe cause nenhum rebuliço no peito e vice-versa.




Meus poemas preferidos, sem dúvidas, são os que falam de amor - e gastei todos os meus post-its com eles. Leminski tem um jeito singular e lindo de com poucas palavras tocar a alma da gente. Fiquei extremamente feliz de poder começar a ler poesia por suas obras e será um livro que terei sempre na cabeira da cama, pra vez ou outra ler algo e sorrir.

  1. Oii!

    Esse livro é maravilhoso! Eu fazia parte de um núcleo de poesias, os encontros aconteciam duas vezes na semana,lemos este livro por muito tempo... é realmente uma delícia!

    Está na minha lista de livros favoritos, pretendo comprar em breve!

    Beijos,

    Káh

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Kah!
      É realmente uma experiência incrível ler Leminski. Essa edição vale a pena ter e ser contemplada sempre!
      Obrigada por vir aqui conversar comigo, RS.
      Beijos!
      Com amor,
      Ana

      Delete