4.2.17

Ser gay, é sim, escolha

 
Eu vou ser sincero: não é mentira, ser gay é uma escolha. Não passa, sério, de uma escolha entre beijar homens ou mulheres. É simples. Somos pessoas que acordam cedo todos os dias e sai para trabalhar e pagar as contas no final do mês, custear nossa felicidade. Somos pessoas ora triste, ora estressadas, ora felizes, ora insuportáveis, ora como você a quem lê esse texto. 

E então escolhemos ser gay. Não por diversão, porque  não é divertido correr o risco de pessoas que você ama e admira virar as costas para você. Não por um estilo de vida, para ser deslocado ou ser afeminado. Não escolhemos ser gay para ouvir comentários pesados, ser taxado como doentes e com "uma fase ruim das nossas vidas". Escolhermos ser gay, porque sempre houve uma voz dentro de nós que dizia: a escolha é sua, a liberdade ou a prisão. 


Acredite, primeiramente, escolhemos a segunda opção, porque é mais sucessiva e mais fácil calar o próprio desejo, a própria vontade. Passamos a observar aquelas pessoas que tivemos medo de afastar serem felizes, se apaixonar por alguém que se identifica e ficarmos ali, de lado, não se abrindo para quem realmente somos. Porque primeiro escolhemos nossos amigos, familiares; escolhemos não magoar ninguém, mas, infelizmente, magoámos a nós mesmos, sofremos calados e um dia, assim, de repente escolhemos ser gay, mas não apenas um gay, não o gay reprimido que ninguém conhece, escolhemos ser alguém que veio do berço - e talvez, pai, mãe, amiga, você pense que isso é errado, mas errado mesmo é a posse do meu corpo e dos meus desejos.  E eu me torno gay todos os dias. E eu escolho ser gay todos os dias, porque uma coisa é certa, eu tenho o poder de escolher o que eu quero ser e como vou ser. 

E se eu pudesse escolher se em outra vida ser gay ou não, é óbvio que escolheria nascer novamente assim, normal. Gay. Gostando do mesmo sexo, quebrando uma regra simples e que não deveria afetar a vida de ninguém. Ser gay, é sim, uma escolha. É a escolha de ser feliz ou não, porque não há nada que pague a liberdade, a felicidade de ser quem nasceu para ser.

3 comentários

  1. Com esse título no meu feed de leitura eu quase tive um surto e já estava preparando o textão e a armadura. Terminei o texto com um sorriso no rosto. Feliz pela simplicidade e o encanto que você deixou registrado através de palavras. No fundo, é só isso que você escreveu, ser feliz.

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir
  2. "E se eu pudesse escolher se em outra vida ser gay ou não, é óbvio que escolheria nascer novamente assim, normal. Gay." Eu amei fortemente este post e já compartilhei porque no final, a vida é uma escolha e o importante é escolher o que nos faz plenamente feliz.

    Beijão,
    Quase Mineira

    ResponderExcluir
  3. "escolheria nascer novamente assim, normal. Gay."
    Isso entrou forte na minha cabeça.
    Lindo texto, lindas fotos.

    ResponderExcluir

© setecoisas.com.