22/11/2016

Resenha: "Nevando em Bali", de Kathryn Bonella

Nevando em Bali
Kathryn Bonella
Editora Geração
368 páginas
“Nevando em Bali”, best-seller da escritora australiana Kathryn Bonella, é um livro raro e absorvente, que traz revelações que vão chocar os leitores interessados em jornalismo investigativo e em histórias humanas por trás dos folhetos que prometem paraísos terrestres. Jovens do mundo inteiro, entre eles surfistas sul-americanos como o brasileiro Rafael, enriquecem até o delírio na pequena e linda Bali, cujos moradores são famosos por acolher com gentis e hospitaleiros sorrisos milhões de turistas. No estilo de vida criado por esses novos playboys, o tráfico de cocaína desempenha papel fundamental. E eles poderão acabar na prisão de Kerobokan, verdadeiro inferno, ou fugir. Mas pagarão alto preço pela vida de luxo. Construído à base de relatos verdadeiros, de primeira mão, sobre esses traficantes, o livro lança a pergunta: quem será o próximo a acabar em kerobokan? Um livro indispensável.
Nevando em Bali, caiu em minhas mãos sem que eu o solicitasse, chegou de surpresa e me deixou curiosa desde o primeiro instante, pois aborda um assunto que nunca tive a oportunidade de conhecer mais à fundo. O livro consiste em fatos jornalísticos, cheio de relatos pessoais e verdadeiros, sobre a verdadeira Bali nos anos 90. Além das belíssimas praias, que dão ótimas ondas pros surfistas que vêm do mundo inteiro, é uma cidade envolvida em outra realidade: drogas, prostituição, dinheiro, farras e consequentemente prisão e morte. O paraíso para os traficantes.


Somos apresentados a Rafael, o surfista brasileiro que sonhando em surfar nas ondas de Bali, consegue dinheiro suficiente para conhecer o lugar e sua vida muda da noite pro dia. Apresentado aos poderosos da cidade, os traficantes, ele passa a desejar viver a boa vida que eles aparentam viver. Dinheiro fácil, mulheres, festas, iates, entre mil e outras regalias. Logo de mula, Rafael passa a ser um dos traficantes mais conhecidos do lugar. A engenhosidade dos traficantes me deixou de boca aberta, a maneira que eles criavam situações para transportar a droga eram de uma engenhosidade incrível.
"Em todos os ramos do crime, dinheiro e poder eram as principais forças, e havia um grande número de ocidentais querendo entrar no submundo de Bali e fazer sua primeira entrega de drogas. Alguns subiam de nível e viravam traficantes, outros investiam em negócios legítimos em Bali, como restaurantes, pousadas, boates, lojas de roupas ou exportação de móveis; e havia também outros que iam direto para a Penitenciária de Kerobokan."
A Penitenciária de Kerobokan foi o destino de muitos personagens que conhecemos ao longo da história. Sua dura realidade levaram muitos a sentença de morte por tráfico de drogas. Rafael viu muitos amigos entrarem pelo cano, Marco, André, Rodrigo e até a própria mulher, todos foram presos e julgados a prisão durante longos anos ou à morte. Sua vida vira de cabeça pra baixo e é então que Rafael conhece o outro lado do mundo maravilhoso em que vivia.

"Todos os meus amigos começaram a ser presos em Bali, no Brasil, na Austrália, e aí eu pensei "que merda, cara, tão vindo atrás de mim - preciso tomar mais cuidado." (Rafael)"
É um livro bem pesado, com cenas reais e impactantes sobre o mundo do tráfico. Em diversos momentos ficava agoniada durante a leitura, sabendo que a situação em que essas pessoas viviam não poderiam durar a vida inteira, levaria todos para um fim terrível, como realmente aconteceu. Droga é um assunto que mexe bastante comigo e que, com certeza, se pudesse erradicar algo do mundo, seria isso. A destruição de famílias é ocasionada por esse mal. Então, se você curte histórias reais e cheias de cunho jornalístico, indico esta leitura.

20/11/2016

#EFBSB II: Encontro Fotográfico

Pela primeira vez sai (sozinho) para fotografar em algum evento, quando cheguei lá, fiquei triste porque não sabia como chegar nas pessoas para tirar fotos (não é tão fácil quanto parece para um tímido), mas logo o Andy chegou e consegui me soltar mais e fazer até render umas boas fotos! #EFBSB é um encontro para reunir os brasilienses que são apaixonados por fotografia: então resolvi sair de casa e conhecer gente nova. Fiz. Gostei. Quero repetir.


E o encontro foi miado pelo medo que sentíamos: o tempo chuvoso que se alastrou por Brasília, mas mesmo assim a gente tira foto.


 
Gostaria de agradecer todo mundo que resolveu dar uma paradinha para mim e ao Andy por ter tirado umas fotos bem legais minhas (mesmo eu não parando quieto e colaborando, vocês podem perceber isso pela foto da minha careta). Caso alguém queria ser marcado no post, deixa um comentário (porque é complicadérrimo encontrar todo mundo)!

Mais fotos em @igormedeiroz!


2012 - 2018 © Sete Coisas.