Resenha: "Outlander — O resgate no mar: Parte II", de Diana Gabaldon

15 Oct 2016

O Resgate no mar: Parte I
Outlander, livro 03
Diana Gabaldon
Editora Arqueiro
592 páginas
Há vinte anos Claire Randall voltou no tempo e encontrou o amor de sua vida – Jamie Fraser, um escocês do século XVIII. Mas, desde que retornou à sua própria época, ela sempre pensou que ele tinha sido morto na Batalha de Culloden.
Agora, em 1968, Claire descobre, com a ajuda de Roger Wakefield, evidências de que seu amado pode estar vivo. A lembrança do guerreiro escocês não a abandona… seu corpo e sua alma clamam por ele em seus sonhos. Claire terá que fazer uma escolha: voltar para Jamie ou ficar com Brianna, a filha dos dois.
Jamie, por sua vez, está perdido. Os ingleses se recusaram a matá-lo depois de sufocarem a revolta de que ele fazia parte. Longe de sua amada e em meio a um país devastado pela guerra e pela fome, o rapaz precisa retomar sua vida.
As intrigas ficam cada vez mais perigosas e, à medida que tempo e espaço se misturam, Claire e Jamie têm que encontrar a força e a coragem necessárias para enfrentar o desconhecido. Nesta viagem audaciosa, será que eles vão conseguir se reencontrar?



Para tudo. Jamie não está morto! Sim, sim, sim, eu dei pulos de alegria. Óbvio que eu não acreditava na possibilidade de Diana Gabaldon matar um dos personagens mais incríveis de todos os tempos. Ela seria linchada, apedrejada ou jogada na fogueira pelos leitores da série, sem dúvidas. Mas, enfim, alegrias à parte, vinte longos anos se passaram desde a guerra em Culloden, quando Jamie levou Claire de volta as pedras carregando a filha dos dois em seu ventre, de volta pro seu tempo. Brianna, a filha dos dois, já é uma mulher e com a ajuda de Roger, o filho do reverendo, ela e a mãe começam uma busca por meio de documentos jacobitas sobre o final de Jamie. A certeza infeliz de Claire era que tivesse perdido o homem da sua vida para a guerra, mas com a ajuda sagaz de Roger e a perseverança de Brianna, que agora também ansiava por notícias do verdadeiro pai, conseguiram encontrar pistas da vida que Jamie tivera após a partida de Claire. Em meio a isso, a história nos apresenta falshbacks da vida de Claire com Frank, a tentativa frustrada de voltar a ama-lo, as traições e a falta de apoio na faculdade de medicina fizeram dos anos juntos dos dois infelizes, unidos apenas por Brianna, a quem Frank amou como uma filha. Após sua morte, Claire finalmente pode contar a filha sobre o verdadeiro pai e a história complicada que os envolvia, assim, tendo a chance de tentar encontrar o que houve com ele.



Após Culloden e Jamie ter se esforçado pra morrer entre os soldados e tiros, ele sobreviveu e fugindo dos ingleses viveu durante sete anos em uma caverna próxima a Lalybrooch, onde podia ajudar sua família com a caça e visitá-los vez ou outra. Com a visão do período pós-guerra, a perda de Charles Stuart, a quem apoiava, e a fome cada vez mais presente entre os que amava, Jamie encontrou como solução entregar-se aos ingleses em troca de recompensa, dando o dinheiro para a família. Após armada a emboscada, foi preso e viveu anos na prisão.

Foi assim que Claire conseguiu encontrar o caminho percorrido por Jamie, que virou uma lenda famosa da Escócia antiga. O homem encapuzado que morava em uma caverna e saía apenas a noite pra caçar. Logo após, o encontraram na lista de presidiários da prisão em que foi preso. Depois, ajudado pelo general, que tinha grande "simpatia" por ele, o presente de viver como cavalariço de uma família, o dando uma liberdade maior. Nesse período, acompanhamos a história de Jamie de forma mais profunda, sem a Claire e com os pensamentos voltados pra ela em todos os momentos, coisas surpreendentes acontecem. Um filho. Mulheres, poucas, mas de profundas marcas. Chicotadas. Assédio. Assuntos que a autora tem tato pra tratar e que doem no leitor, aproximando-nos do personagem de uma forma incrível.



Depois de encontrar o que seria o último passo de Jamie e fazer as possíveis contas pra encontrar o tempo certo em que estavam, ou seja, o presente deles e o de Jamie se chocando, foi que Claire teve a dura missão de decidir entre ficar ou partir. Dividida entre voltar a encontrar, depois de vinte anos, o amor da sua vida e deixar a filha que tanto ama e é devota para trás. A filha a ajuda na decisão a levando as pedras e a encorajando e é então que Claire faz novamente a passagem dura entre o tempo em busca de Jamie. O encontro dos dois foi descrito de uma forma linda, o desespero da saudade junto ao medo de vinte anos de separação, tornou a cena real e dolorosa. O encontro com os personagens antes tão pequenos (Fergus, o pequeno Ian, entre outros), foi emocionante. Já homens, tiveram papéis importantes na história.




Como sempre, uma leitura muito agradável e contagiante. Embora, dessa vez, não tenha ganhado cinco estrelas, é uma história que amo e pretendo acompanha-la até o fim. Acredito que por ter sido dividido em duas partes, a leitura se tornou mais fácil, confesso que ver um livro de mil páginas me assusta um pouco. Porém, também creio que o melhor virá na parte seguinte, concluindo assim, a história e nos dando mais momentos de Jamie e Claire juntos.

2 comments: