Resenha: "Os Bons Segredos", de Sarah Dessen

10 Jul 2016

Os Bons Segredos
Sarah Dessen
Editora Seguinte
408 páginas
Há segredos muito bons para serem guardados — e livros muito bons para serem esquecidos. Sydney sempre viveu à sombra do irmão mais velho, o queridinho da família. Até que ele causa um acidente por dirigir bêbado, deixando um garoto paraplégico, e vai parar na prisão. Sem a referência do irmão, a garota muda de escola e passa a questionar seu papel dentro da família e no mundo. Então ela conhece os Chatham. Inserida no círculo caótico e acolhedor dessa família, Sydney pela primeira vez encontra pessoas que finalmente parecem enxergá-la de verdade. Com uma série de personagens inesquecíveis e descrições gastronômicas de dar água na boca, Os bons segredos conta a história de uma garota que tenta encontrar seu lugar no mundo e acaba descobrindo a amizade, o amor e uma nova família no caminho.

Em Os bons segredos, conhecemos Sidney e o caos composto por sua família. Graças ao jeito rebelde de levar a vida do irmão mais velho, Peyton, Sidney sempre se sentiu invisível dentro da própria casa. A cegueira da mãe em relação ao filho, que mesmo depois de tudo que causou, ainda era tratado como vítima era inaceitável para ela. Depois de inúmeros pequenos delitos, o irmão acaba sendo preso, por dirigir alcoolizado e atropelar um garoto, deixando-o paraplégico. A culpa pelo que o irmão causou domina Sidney, que resolve mudar de escola, tentando começar uma história diferente, em um lugar em que não conheceriam sua história e não a olhariam diferente por conta dos erros cometidos pelo irmão.



Depois de mudar de escola, ela resolve criar novos hábitos e, desejando ter mais tempo após o horário de aulas longe de casa, decide entrar em uma pizzaria e assim, conhece Layla e sua família, os Chatam. Daí por diante, as coisas mudariam, dando a chance a Sidney de se encontrar e se notar em meio as pessoas que, diferente da família, pareciam enxerga-la.

"Não é que estabelecemos uma amizade: eu fui sugada por sua órbita. Uma vez ali, entendi porque os outros também estavam."

"- Você vestia uma camiseta com estampa de cogumelos; seu cabelo estava preso. Brincos prateados. Pizza de pepperoni. Não quis pirulito. Olhei pra ele, confusa. Layla vinha na nossa direção. - A primeira vez que você entrou na Seaside - ele esclareceu. - Você não era invisível, não pra mim. Só pra você saber."

A relação que foi construída entre Layla, Mac, Eric, Irv e toda a família Chatam, fez de Sidney uma pessoa diferente. A transição entre a personagem do início da história, para o desenvolvimento da mesma, é notória de uma maneira gostosa. Ficava na torcida pra que ela entendesse que merecia ser notada, que tinha seus atributos a ser colocados em jogo e que podia ser alguém além da irmã do garoto rebelde. Os erros do irmão a afetavam de uma maneira que nem ela mesma conseguia explicar, mas depois de assumir o que isso significava, até o relacionamento com o irmão melhorou. Foi incrível refletir com Sidney sobre os segredos dos momentos especiais que guardamos, de como as vezes as boas histórias também precisam ser guardadas, pra que não se percam, como encontrar um carrossel abandonado no meio da floresta com seus amigos.


É uma história leve e simples, mas que nos faz refletir sobre coisas grandes e difíceis. Sobre, por exemplo, como as vezes damos uma importância gigantesca pros problemas e não conseguimos enxergar as coisas encantadoras em que nos esbarramos. Ou, como deixamos que situações nos definam. Ou, como, as vezes nos deixamos cegar pelo que sentimos. E principalmente, como não podemos deixar o medo de arrumar as coisas nos dominar, porque a paz de espírito precisa estar acima do nosso medo. Um livro pra guardar no coração, como um bom segredo, mas que precisa ser compartilhado com pessoas especiais.

2 comments:

  1. Esse sentimento de ler um livro bom e gostoso tomou conta de mim quando li Os Bons Segredos, é um livro que não tem muito mistério, mas é gostoso de se ler.

    xoxo
    Mila F.
    @camila_marcia
    www.delivroemlivro.com.br

    ReplyDelete
    Replies
    1. Siim. Ser tão leve deu um toque especial e diferente de tudo que ja li. ❤

      Delete