Resenha: "Nova Ordem", de Chris Weitz

22 Jul 2016

Nova Ordem
Trilogia Novo Mundo, livro 02
Chris Weitz
Editora Seguinte, 2016
266 páginas
Jefferson, Donna e seus amigos descobriram que os adolescentes não são os únicos que sobreviveram ao vírus e, em meio ao caos do resgate da Marinha, eles se separam. Jefferson volta para Nova York e tenta levar a Cura para a tribo da Washington Square, enquanto Donna vai parar na Inglaterra, onde se depara com um mundo pós-Ocorrido inimaginável. Mas um desastre ainda maior que a Doença está prestes a acontecer, e Donna e Jefferson só poderão evitá-lo se acharem o caminho de volta um para o outro.
Mais alguns meses e iria completar aniversário de dois anos desde quando eu li o primeiro volume da trilogia, Mundo Novo. Apesar de um longo tempo pausado entre os livro, ainda sim, consegui lembrar das cenas finais do primeiro livro - como aquilo me deixou tão chocado e com tanta vontade de ler o próximo volume. Após a leitura do segundo volume, minhas expectativas abaixaram, creio que eu tenha pegado o livro em um momento ruim ou que eu esteja saturado desse tipo de leitura, ou seja, o problema não é o livro, sou eu - visto que vários leitores amaram este volume.


Nesse meio tempo do último parágrafo e foto decidi que eu não estava pronto para essa leitura. Há alguns dias decidi ler vários livros de ficção científica da minha estante, então, entremeio as leituras decidi pegar um livro mais curto para carregar na mochila. Li o livro entre intervalos do trabalho e faculdade, contudo, nenhuma vez o livro conseguiu me prender de fato, sem me deixar desconectar. 

Bom, o livro começa exatamente onde o primeiro livro termina, então as respostas que queríamos no primeiro volume são respondidas na primeira metade de Nova Ordem, os diálogos são todos voltados mais para o lado mais político dos acontecimentos, o que resulta em uma leitura monótona tanto da parte de Donna quanto de Jeff - personagens que contam a história em primeira pessoa. O livro começa a ficar realmente bom após toda a burocratização de explicar os porquês, cujo nossos personagens começam a se movimentar e produzir ação atrás de ação.


Na continuação da trilogia, há uma desconstrução de tudo que imaginamos no primeiro volume. Nossos protagonistas, now, terão que trabalhar sozinhos contra a manipulação do governo corrupto, várias reviravoltas acontecem em apenas 266 páginas - e não há como negar que aqui a leitura começa a fluir. Porém, é quando somos apresentados a outros pontos de vistas além de Donna e Jeff que realmente conseguimos perceber o quanto os nossos protagonistas (e o mundo) estão ferrados. 

Apesar de estar meio balançado com esse livro, quero muito ler o próximo, preciso sim, saber o que acontece com os personagens. Creio que até o lançamento do próximo livro eu tenha relido Nova Ordem, para ver se essa leitura me pega de jeito - como eu queria que tivesse pegado. Afinal, esse livro termina de uma forma que exige que o leitor saiba o que acontecerá - há muitos problemas, pontas soltas e desordens para serem sanadas e solucionadas (se forem), quero muito presenciar isso através da escrita  de Weitz, que é boa, não nego. 


Leia também sobre os outros volumes da série:
Mundo Novo #1: Mundo Novo

0 comments:

Post a Comment