3.7.16

Resenha: "A Garota Italiana", de Lucinda Riley

A Garota Italiana
Lucinda Riley
Editora Arqueiro, 2016
464 páginas
Uma inesquecível história de amor, traição, paixão, obsessão e música.

Aos onze anos de idade, Rosanna Menici conhece o cantor Roberto Rossini, uma estrela em ascensão no mundo da ópera italiana - e o homem que mudaria sua vida para sempre. Incentivada - e apaixonada - por ele, Rosanna passa a se dedicar ao estudo do canto lírico, torna-se cantora profissional, e logo os dois se encontram nas salas de concerto mais famosas do mundo, dividindo não só o palco como também o mesmo destino.

Com seu talento incomum para descrever ambientes e evocar sensações e sentimentos universais, Lucinda Riley nos leva a acompanhar a trajetória de Rosanna, desde os bairros pobres de Nápoles até os teatros mais glamourosos do planeta, trazendo à tona, com sua prosa inconfundível, as alegrias, tristezas, frustrações, decepções e redenções do amor.



Esse é um daqueles livros que você não consegue largar. Uma história cheia de altos e baixos, emoções à flor da pele, uma paixão avassaladora e muitos segredos. Se eu pudesse dar uma conselho a Lucinda, a autora, diria que ela transformasse essa história em uma novela mexicana, ia ser sucesso garantido! Rosanna Menici é apenas uma criança quando somos apresentadas, no início da história. Vivendo em uma típica família italiana, com sua mama, seu papá, o irmão Luca e a irmã Carlotta, ela vive para ajudar os pais e irmão na cantina da família, enquanto vive à sombra da irmã mais velha, que parece encantar a todos com sua beleza e simpatia. Seu destino muda ao ser apresentada à Roberto Rossini, um jovem cantor de ópera que ao ouvi-la cantar reconheceu seu enorme talento e ajudou em seus primeiros passos rumo ao estrelato no mundo da ópera.



Ao longo dos anos acompanhamos a jornada de Rosanna e seu crescimento na música. As muitas oportunidades lhe são apresentadas graças a sua voz esplêndida, a ajuda do irmão que a acompanhou em todos os momentos e aos influentes homens que lhe foram apresentados graças a aquele primeiro contato com Roberto. Também somos apresentadas a Abi, uma grande amiga que Rosanna conheceu na escola de música, a quem me apeguei bastante. Enquanto a vida da irmã mais velha declinava, a de Rosanna ascendia.

Até que acontece o segundo encontro entre Rosanna Menici e Roberto Rossini, desta vez, em cima dos palcos e cantando juntos, como Rosanna havia sonhado tantos anos antes. Embora os primeiros encontros tenham sido decepcionantes, diante a visível arrogância do cantor, foi inevitável o amor entre os dois, que viveram uma história de amor maluca, apaixonada e talvez irracional.

“- Você sabe que isso vai mudar nossa vida, não sabe? Depois disso não haverá mais volta.
- Eu não quero voltar.”
A vida de Rosanna com Roberto estava fadada aos muitos segredos do passado, assim como a obsessão de estarem juntos e serem consumidos pela paixão de forma a afetar a carreia e a vida de ambos, principalmente de Rosanna que parecia disposta a largar tudo para estar com Roberto.

“(...) O amor é uma espécie de vício. É preciso suportar um período de abstinência e não se punir por de vez em quando pensar que nunca vai passar.”



Me senti apegada a história de forma a amar alguns personagens, a querer gritar-lhes algo e era angustiante, em alguns momentos, notar que a decisão de alguns não ia dar certo no final, não poderia. E sinceramente, eu não poderia ter imagino final mais plausível, mais aceitável, mais real. Me despedi da história com um aperto no coração e a felicidade de os meus amigos personagens terem encontrado um modo de prosseguir. Lucinda Riley mais uma vez ganhou meu coração.

8 comentários

  1. Tenho 4 livros da Riley na estante. E sou louco para ler algo dela, mas os tamanhos sempre me assustaram. Acho que essa é uma boa hora para enfrentar, não é? Os livros dela parecem sempre ter uma emoção enorme!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh, como assim? Ja li A casa das orquídeas e fiquei apaixonada pela escrita dela. Tenho mais um aqui pra ler e não vejo a hora! Hahaha vale muito pena, de verdade. Ela escreve bem demais! Da uma chance! <3

      Excluir
    2. Tenho todos publicados pela NC! Sem falar que as capas são maravilhosas né?

      Excluir
    3. Demaaaais, a Lucinda arrasa em todos os detalhes!

      Excluir
  2. Será que fui eu que lhe indiquei Lucinda Riley, será Aninha? Eu ando espalhando o nome dessa escritora por todos os lados... Uma diva.
    Ainda não li A Garota italiana, e tô chocada com a rapidez com que você leu... mas vou ler muito em breve e a gente vai poder conversar sobre... vai ser lindo!

    xoxo
    Mila F
    @camila_marcia
    www.delivroemlivro.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi você SIM, hahaha. E sou muito grata, porque se tornou uma autora queridinha pra mim, tenho vontade de ler todas as obras dela.
      Não vejo a hora de poder comentar contigo!

      Beijos

      Excluir
  3. Eu só Casa das Orquídeas da Lucinda Riley mas não tenho dúvidas que os todos os livros dela dariam uma boa novela, você se apela e quer gritar, chorar, amar junto com os personagens <3
    Beijão,
    Quase Mineira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SIM, são histórias que tenho certeza que seriam ótimos roteiros de sucesso, assim como os livros já são, rs.
      Beijos

      Excluir

© setecoisas.com.