Resenha: "A Coroa", de Kiera Cass

A Coroa
A Seleção, volume 05.
Kiera Cass
Editora Seguinte, 2016
320 páginas
"Em ''A Herdeira'', o universo de A Seleção entrou numa nova era. Vinte anos se passaram desde que America Singer e o príncipe Maxon se apaixonaram, e a filha do casal é a primeira princesa a passar por sua própria Seleção. Eadlyn não acreditava que encontraria entre os trinta e cinco pretendentes do concurso um companheiro de verdade, muito menos o amor verdadeiro. Mas às vezes o coração prega peças E agora Eadlyn precisa fazer uma escolha muito mais difícil - e importante - do que esperava."
Antes de falar de "A Coroa" gostaria de falar de dois volumes antecessor a este: "A Escolha". O terceiro livro da série, que na época foi o desfecho de uma trilogia que havia adorado, acabou de um jeito muito estranho - corrido e sem tanta emoção como nós primeiros livros. Quando aceitei continuar lendo a série, já sabia que a história, mesmo que com um final ruim, deveria ter acabado realmente em A Escolha. Mas aceitei ler mesmo assim, A Herdeira, foi uma leitura arrastada e a protagonista não conseguiu ganhar cena e agradou pouquíssimos leitores, contudo, o jogo muda no último volume da série: Eadlyn está bem mais legal, contudo a história está horrível, o motivo de ter citado sobre o terceiro livro é que como essa série pode acabar com dois fins péssimos?

Acabo julgando Cass nesses dois últimos livros, porque realmente não haveria necessidade em escrevê-los, na resenha de desfecho da trilogia escrevi que gostaria de saber o que aconteceria com os personagens e com Ilhéa, contudo, creio que isso deveria ter parado naquele momento e deixado o leitor criar suas próprias "fanfics" imaginárias. Porém a história tomou uma proporção que nem mesmo Kiera pode domar, A Seleção, nesse volume foi algo muito estranho e forçado, Eadlyn sempre se manteve longe dos personagens, mas ao mesmo tempo sempre tão apaixonada por todos - a única maneira de fazer o livro chegar ao fim foi se os próprios concorrentes desistissem. Então se A Seleção não teve tanto foco, então vamos falar do reinado da princesa, o peso que ela demonstra carregar, o país conta com diversos cidadãos insatisfeitos contudo a história está tão envolvida com as decisões da princesa que não ganha tanto foco para a política - no meio da história é adicionado um vilão inesperado e sem necessidade, acabando sendo outro ponto político e que, felizmente (ou infelizmente), precipita o final d'A Seleção.

Quando terminei de ler A Herdeira, tinha em mente quem poderia ser o escolhido da princesa, contudo, saberia que ela (Cass) ia mudar o jogo nas últimas páginas e foi justamente o que ela fez em A Coroa, um romance forçado e corrido, sem expectativa e sem dar ao leitor uma sensação de apego ao concorrente, afinal, não há como tirar um personagem dos panos de fundo nas últimas horas e fazer-nos amá-lo. Acho que Kiera enjoou da própria história e decidiu colocar um final em sua história, sem se preocupar com o senso de estética ou com os leitores.

Mas apesar de apenas ter medido o pau até agora, eu não vou mentir que gostei um pouco da história. Como disse, Eadlyn está bem mais legal nesse volume e acaba conquistando um pouquinho o leitor, o romance forçado se torna algo relevante e até aceitável quando você tira as expectativas; várias coisas acontecem nesse volume e, apesar de serem muitas coisas para um volume só, dão a história muita ação e pontas soltas. Se olhamos de um ângulo maior e percebemos o quanto de adversidade há nesse término, podemos dar uma boa nota de três estrelas (rs).

Me sinto realizado em, finalmente, colocar um fim nessa história. Expectativas não cumpridas e algumas pontas soltas no final do volume, creio que não poderia terminar de outra forma (e espero que a história realmente tenha chegado ao fim).


Leia também sobre os outros livros da série:
A Seleção #1: A Seleção
 A Seleção #1.5: O Príncipe
A Seleção #2: A Elite
A Seleção #2.5: Contos da Seleção
A Seleção #3: A Escolha
A Seleção #4: A Herdeira
Extra: Diário da Seleção

Post a Comment