Resenha: "Na Estrada Jellicoe", de Melina Marchetta

28 May 2016

Na Estrada Jellicoe
Melina Marchetta
Editora Seguinte, 2016
296 páginas
A pequena cidade de Jellicoe, na Austrália, vive uma guerra territorial travada entre três grupos: os estudantes do internato, os adolescentes da cidade e os alunos de uma escola militar que acampa na região uma vez por ano. Taylor é líder de um dos dormitórios do internato e foi escolhida para representar seus colegas nessa disputa.
Mas a garota não precisa apenas liderar negociações: ela vai ter que enfrentar seu passado misterioso e criar coragem para finalmente tentar compreender por que foi abandonada pela mãe na estrada Jellicoe quando era criança. Hannah, a única adulta em quem Taylor confia e que poderia ajudar, desaparece repentinamente e a pista sobre seu paradeiro é um manuscrito que narra a história de cinco crianças que viveram em Jellicoe dezoito anos atrás.
Há algumas leituras que você inicia assim: sem esperar nada, sem saber do que se trata ou através de uma solicitação maluca a base de comentários. "Na Estrada Jellicoe" foi um desses livros solicitados por recomendação, li, me perdi e senti vontade de ler novamente. Mas, por um momento, odiei esse livro. Um começo lento e um mundo totalmente desconhecido foi se apresentando de uma maneira a deixar o leitor totalmente perdido, somente após dois terços do livro que a história começa a se encaixar, fazer sentido e conquistar o leitor. 



A história é contada nas terras de Jellicoe, uma cidade australiana minuscula, que anualmente são travadas guerras territoriais entre três grupos - os citadinos (jovens da cidade), os cadetes (alunos dos colégio militar) e, por fim, os estudantes de uma escola de internado. Taylor é líder de um dos dormitórios do internato e responsável pela representação na escola em meio a guerra de territórios. Contudo, a história vai muito além da disputa entre adolescentes, Taylor contém um passado preciosíssimo, cujo foi abandonada pela mãe e recentemente também foi abandonada por Hannah, sua tutora e a mais próxima do que poderia ser uma, digamos, família. Mas antes de sumir Hannah deixa um manuscrito com a história de cinco adolescentes que viveram em Jellicoe, que possivelmente tem haver com as guerras territoriais e com o passado obscuro de Taylor.  



"Na Estrada Jellicoe" se conduz através dos seus personagens, a história inicialmente confusa, deixou-me um pouco aflito, contudo, os personagens intrínsecos e bem construídos me fizeram levar o livro adiante. Há uma construção muito boa de cada personagem aqui, tanto no presente quanto no passado, podemos observar os receios e desejos de Taylor, a fofura de sua amiga, as atitudes de uma mulher do passado e como várias coisas interferiram na vida da nossa protagonista. 

O ápice da narrativa se encontra exatamente na confusão da escrita, onde temos diversos contextos em apenas uma história, ao mesmo tempo que esta acontecendo uma guerra entre três grupos, a nossa protagonista tem que atuar como responsável pelas jovens da sua Casa (dormitório), com o passado, com um suposto serial killer e com o coração que está entre amor e ódio. Então, logo somos deparados com diversos sentimentos em uma narrativa de primeira pessoa, dentre os pensamentos da protagonista e diálogos de guerra, há também pequenas doses do manuscrito deixado por Hannah - fazendo que a história fique ainda mais sem pé e sem cabeça (juro que antes de terminar, tudo fará sentido).  
"Se você fechar os olhos, vai conseguir controlar sua própria escuridão."
Temos então um livro que aborda diversas temáticas - vícios, drogas, doenças psiquiatras, perda e conhecimento e reconciliação com o passado - enlaçado numa trama de guerra, passado e amor. Em resumo, é um livro forte e que vale a pena ser apresentado para leitores que gostam de uma boa dose de drama, suspense e algo próximo a um romance, é um livro que, em um primeiro momento, deixa o leitor perdido, mas com o tempo passa a tomar forma e criar certos vínculos entre a protagonista e quem a lê. Sem dúvida, uma ótima aventura escondida dentro de uma capa linda. 

2 comments:

  1. Apaixonada pelas fotos dessa resenha. ~suspirando~ ❤❤❤❤❤

    ReplyDelete
    Replies
    1. não tão boas como as suas, mas tento!

      Delete