// 30 May 2016

Desculpa, mas vou pegar minhas coisas e ir embora


Lutei tanto para não ser pego desprevenido, consegui identificar de longe pessoas que me levariam ou que poderiam ou não me levar a sério, mas há um momento em que o mental simplesmente cansa e ignora o sentido de auto-defesa, precisamos de alguém. Mas creio que o grande problema tem sido gostar em ser pego de surpresa, sem a criação de expectativas, somente como algo que estava evoluindo a medida que permitíamos. E o problema em gostar é que logo entrego o meu melhor, sem esperar as luzes apagarem ou as velas acenderem, entrego meu sentimento à bandeja, fácil, mole e doce. 

No fim, descobri que você não estava disposto aos convites ao final de semana, as cartas não enviadas, as músicas cantadas e os poemas escritos. Talvez, eu seja intenso demais e não deixe você respirar, talvez eu tenha me preocupado demais todas as vezes que você desaparecia no meio da noite e eu não conseguia dormir por preocupação, talvez eu não tenha sido tão sincero ao dizer que queria levar isso a diante, que te tornaria meu homem, que te apresentaria aos meus pais ou que colocaria uma aliança no teu dedo. 

O problema não é com você, sou eu, sabe? Que me esforcei demais, sai mais cedo do trabalho, faltei o curso de inglês, faltei o almoço em família para ficar com você; me oferecia por inteiro e recolhi migalhas. Enquanto a cada dia me torno mais frio e sólido, você pode ficar despreocupado não vou atormentar com uma ligação no meio da madrugada dizendo que estou com saudade, nem vou aparecer na porta da sua sala de aula e noites de frio.

Como eu disse, a culpa é minha, que nunca se importou em gostar com intensidade e não exigir nada em troca, que sempre ignorou os conselhos de "vai com calma", não faz o meu estilo não ser intenso e não há como mudar pessoas como eu, amamos sem necessitarmos ser amados em troca, dei o meu amor por inteiro, enquanto, você só estava disposto a aceitar apenas metade, a culpa não é sua, a carga era realmente pesada para braços frágeis como os seus.

Por isso agora estou levantando e estou levando minhas coisas embora, não é justo lhe entregar algo que não estais preparado para segurar.