Minha amiga chamada Ívia ♡

8 Apr 2016



Eu sei, amigos, é um nome estranho. Ívia é uma pessoa pra quem não conhece, também estranha, então, digamos, esse nome cairia super bem se você não a conhece, mas como eu a conheço - e a amo - não há nada de estranheza.

Quando procurei pela amizade de Ívia, não sabia o que poderia me esperar, afinal, aquela menina não tinha amigos na escola, não conversava com ninguém, as únicas coisas que eu sabia era: ela tinha notas excelentes e sempre, amigos, eu digo sempre, sentava na primeira cadeira da sala.

Minha amizade com Ívia progrediu de uma forma inesquecível, lenta e gostosa: em caminhadas de volta da escola, em idas ao seu jardim cheio de bichos, em intervalos dentro da biblioteca, em diversos trabalhos em grupos durante o, insuportável, ensino médio. Não poderia ser de outra forma, uma amizade natural, singela e, além de tudo, sincera.

Esse post é para dizer o quanto estou com saudade dela, não, amigos, ela não morreu. Só é bem complicado termos uma conversa hoje em dia, após o ensino médio tanta coisa mudou: eu seguindo para um lado técnico da coisa enquanto ela foi para o outro lado do mundo, viver sua vida lotada de sempre. Ívia é uma menina de ouro e nunca, sério, nunca vou entender como as pessoas não quiseram ser amigas dela, não importa, o fato é que elas não sabem o que perderam - e, consequentemente, sobrou mais Ívia pra mim!

Eu poderia mandar um e-mail discreto e não declarar esse sentimento aqui, mas esse é o meu blog e eu falo o que eu quiser, acho Ívia uma pessoa importante e sinto vontade de falar dela aqui. Se eu tivesse julgado essa menina por ela ser calada, tirar notas excelentes e até ser um tico antissocial, eu não seria amigo dela naquela época, eu não seria amigo dela hoje e não estaria escrevendo essa postagem de amor sincero. Por isso, amigos, vocês deviam parar e refletir antes de criar algum julgamento ou preconceito, quem seria Zé Igor sem plantas, sem correções gramaticais, sem aqueles biscoitinhos maravilhosos de leite que Monstro prepara?

Amigos, quem seria eu sem aquela simplicidade toda que ela me ensinou de levar a vida, de não me importar com o que as pessoas diziam, de quando ela dizia para eu não me importar coisas algumas coisas, dela me chamando de besta ou bobo! O que seria do Igor de hoje sem Ívia há alguns anos atrás?

Então que eu falei sobre amizade, sobre aprendizado, sobre simplicidade e, principalmente, sobre saudade. Ívia, amo você, por favor, nada de textão nos comentários, sua linda.

Agora esse amor é público! Ame uma Ívia você também ♡.

1 comments:

  1. Bobo... não gostei da última parte "nada de textão nos comentários" kkkkkk. Mas eu vou escrever: você sabe que tem um amor público correspondido né?!! (no caso, o meu amor, claro). Gostei da parte do nome estranho!! E ninguém acredita que antes de conhecer o Igor eu era tipo antissocial, repito, ninguém acredita. Claro, eu amei não só o texto fantástico, mas amo o autor também!!!! Beijos <3
    ps: acho que vou ler este texto mais umas três vezes kkkkkk

    ReplyDelete