Resenha: "A Canção da Rainha", de Victoria Aveyard

4 Dec 2015

A Canção da Rainha
A Rainha Vermelha, livro 1.5
Victoria Aveyard
Editora Seguinte, 2015
51 páginas
Neste conto que se passa no universo da série A Rainha Vermelha, você terá acesso ao diário secreto da rainha Coriane, primeira esposa do rei Tiberias VI e mãe de Cal. Presente de seu querido irmão Julian, o caderno se tornou o único lugar onde a nobre prateada podia desabafar sem que seus pensamentos e emoções fossem usados contra ela.

Ainda jovem, Coriane Jacos foi obrigada a se mudar para o palácio real e lutava para lidar com os perigos e armadilhas do convívio com as outras Grandes Casas. A garota e o então príncipe herdeiro ficaram cada vez mais próximos, provocando a inveja e o ciúme de outras jovens da nobreza, sobretudo Elara Merandus — que tinha o poder assustador de entrar na mente das pessoas. Apaixonado, o príncipe descartou a Prova Real e escolheu Coriane como sua esposa, mas a vida da jovem rainha estava muito longe do tradicional “felizes para sempre”…
Já deixei bem explicado nessa postagem o quanto adorei ler A Rainha Vermelha, uma distopia valente e cruel, onde os prateados são tratados como deuses por causa de seus poderes, ou pelo menos eram tratados. Após a descoberta de uma vermelha com super-poderes o mundo prateado começa a ruir, nesse primeiro livro adentramos no mundo dos deuses e vemos algumas peculiaridades, eles, acreditem, são cheios de problemas e confusões entre si. Fortes? Que nada. 

Havia sentido essa fraqueza entre os prateados assim que Mare começa a freqüentar a casa real, contudo, apenas nesse e-book à degustação do próximo livro que realmente descobri como os prateados são frágeis, perversos e meticulosos. Coriane, a rainha já falecida em A Rainha Vermelha, volta a vida de adolescência e mostra por meio do seu diário como foi conhecer o príncipe Tibe e como foi se tornar rainha. Contrário ao costume, não houve prova real para conceder a uma prateada o privilégio de virar rainha. O príncipe escolheu Coriane, por amor, assim como a mesma o escolheu. Contudo, sempre há uma adversidade, Elara uma prateada com poderes incríveis e maléficos não hesita em se aproveitar das ausências do Rei Tiberias VI para atormentar a dócil rainha Coriane. Após anos convivendo com esses tormentos, Coriane decide colocar um fim. 

Adoro a escrita da Víc, intensa e perfeita, deixa vontade de quero mais nesse mini-livro, contudo, sei que não terá mais o que desfrutar. Percebi, de vez, o quando os prateados podem ser delicados com certos assuntos (como no caso de Coriane, uma rainha com planos perfeitos para os prateados e vermelhos) ou perversos (como a vaca da Elara com o simples objetivo se obter o trono, a coroa e poder). Em terceira pessoa, com toques de primeira, a história é conduzida rapidamente desde adolescência ao falecimento de Coriane, algumas partes são bem enfatizadas e tornam essa personagem algo crível para a história em si. 

Recomendo essa leitura apenas para quem leu o primeiro livro, já sabemos que a rainha já está morta e mesmo assim queremos porque queremos que ela consiga viver (sim,  acabei gostando muito dessa prateada de meio e-book). O próximo livro está prestes a ser lançado, estou ansioso para ler. Já ouviu falar de uma história de príncipes e princesas com super-poderes e todos vivem felizes para sempre? Essa não é uma dessas, tem muita morte aqui.

3 comments:

  1. Eu li a rainha vermelha, gostei bastante, estou ansiosa para o próximo livro

    ReplyDelete
  2. Sou do tipo de pessoa que julgo um livro pela capa, e pra ser sincera já quero ler esse, já amei só de olhar para capa haha.
    Beijo, www.sahsant.blogspot.com

    ReplyDelete