Quando conheci Luma


Numa parada de ônibus de fila quilométrica, onde já esperei demasiadas vezes meu querido e amado Brazlândia. Conheci centenas de pessoas, uma delas Luma. Uma moça que me encheu de graça e me fez esquecer as duras horas que o ônibus demorou a chegar. Quem mora em Brazlândia sabe que ônibus demora, no domingo demora mais ainda. Fazer amizade é essencial para qualquer brazlandenses

Luma é o tipo de pessoa que só de olhar já sente vontade de sorrir. Ela é bonita, cacheada, rechonchuda, risonha e delicadamente negra. Nunca achei que uma mulher dessas poderia estar solteira, qual homem não queria ser feliz ao lado de uma mulher que sorri bonito, engraçado, cuja risada te faz rir, você sente necessidade de rir junto, porque  sabe que aquilo te fará bem, e fez. Não estou apaixonado pela Luma, não da forma de namorado. Mas estou apaixonado pelo jeito, risonho e bobo. Luma está solteira, faz direito e parece ter seus 22 anos. Me pergunto como ela está solteira. Já falei do sorriso e de como ela é bonita, isso basta. Se não basta, Ela é legal e inteligente, conversamos boas horas, falamos de nossas vidas e nos entregamos um ao outro - compartilhando segredos, sofrimentos e experiências -, coisas que fazemos com desconhecidos, nada revelando coisas muito íntimas.      Como dito, não estou apaixonado pela Luma e sim por sua essência. 

Dadas suas duas horas, o 404 chegou, ônibus oferecido com muito coração e amor pelo Governo do Distrito Federal, algumas dezenas de pessoas estava na minha frente, logo o ônibus lotou de gente como a gente. Na minha vez de passar a roleta: olhei e havia dois lugares, mas eu não iria o resto da viagem com a Luma. As cadeiras eram separadas, uma no começo e outra no fim. Luma que estava logo de mim, após me ver pegar a penúltima cadeira e ela a ultima. Sorte? Talvez, queria mais papo com ela e rir daquela risada. 

Acabou. Nenhum de nós estamos dispostos a ir em pé, Brazlândia é longe da Rodoviária do Plano Piloto, então sentamos separados e aceitei, não facilmente, que cada qual seguiria o seu rumo, mas não fiquei triste (até pensei em ficar em pé ao lado dela), mas sei que terei outras esperas de ônibus e talvez não a encontre, mas encontrarei novas pessoas que me arrancaram sorrisos e suas experiências, estou ansioso. 

Um beijo de quem está com saudade de gente que conversa e não puxa papo no whatsapp. 

  1. Gente que crônica maravilhosa, sério amei demais a tua forma simples de escrever e ao mesmo tempo conquistadora.
    Espero que Luma reapareça em uma dessas esperas. ♥
    Um beijo

    www.tecontopoesia.com

    ReplyDelete
    Replies
    1. Primeiro, bem vinda! Mi canto és tu canto.

      Olha você fazendo um elogio desses, vou me achar um escritor de coluna de revista <3

      Delete
  2. Essa sua escrita define seriamente um fato que nunca irá acontecer comigo kk, adorei o texto e espero de coração que volte a encontrar com ela. Um beijo, Bunny and Sara

    ReplyDelete
    Replies
    1. Irá acontecer!

      Pensa positivo <3

      Delete