Resenha: "Boa Noite, Estranho", de Jennifer Weiner

Boa Noite, Estranho
Jennifer Weiner
Novo Conceito
432 páginas
Para Kate Klein, que, meio por acaso, se tornou mãe de três filhos, o subúrbio trouxe algumas surpresas desagradáveis. Seu marido, antes carinhoso e apaixonado, agora raramente está em casa. As supermães do play-ground insistem em esnobá-la. Os dias se passam entre caronas solidárias e intermináveis jogos de montar. À noite, os melhores orgasmos são do tipo faça você mesma. Quando uma das mães do bairro é assassinada, Kate chega à conclusão de que esse mistério é uma das coisas mais interessantes que já aconteceram em Upchurch, Connecticut, nos últimos tempos. Embora o delegado tenha advertido que a investigação criminal é trabalho para profissionais, Kate se lança em uma apuração paralela dos fatos das 8h45 às 11h30 às segundas, quartas e sextas, enquanto as crianças estão na creche. À medida que Kate mergulha mais e mais fundo no passado da vítima, ela descobre os segredos e mentiras por trás das cercas brancas de Upchurch e começa a repensar as escolhas e compromissos de toda mulher moderna ao oscilar entre obrigações e independência, cidades pequenas e metrópoles, ser mãe e não ser.



"Boa Noite, Estranho" fala sobre paixões erradas, culpa e amizade. Tudo isso rodeado de mistério. A vida de Kate, mãe de três crianças, casada com um promovedor de políticos, nova moradora de Upchurch, se mostra um verdadeiro tédio, de deixá-la se perguntando: "O que aconteceu com a minha vida?". Tudo muda quando Kate encontra uma das mães da cidade morta em sua própria cozinha. É aí que a história muda de rumo e Kate vê o assassinato como uma maneira de se distrair, como se seu novo trabalho fosse desvendar esse mistério.



É uma leitura muito instigante e divertida, apesar do tema principal da história ser um assassinato. A autora escreve uma história tensa de forma leve e que nos deixa loucos pra descobrir, junto de Kate, o que afinal aconteceu. A busca por respostas nos presenteia tiradas inteligentes e surpreendentes. De-mais!



"Boa Noite, Estranho" tem um final eletrizante, de deixar qualquer um de queixo caído. De forma muita satisfatória, a autora deu um final com ar de recomeço e esperança, que não decepcionou.

_DEIXE UM COMENTÁRIO

Post a Comment