Resenha: "Abandonado", de Vinícius Pinheiro

Abandonado
Vinícius Pinheiro
Geração Editorial, 2015
186 páginas
Abandonado - No intrigante filme Dogville, do dinamarquês Lars Von Trier, habitantes de uma cidade à beira do fim do mundo se comportam como ratinhos de laboratório. O diretor nos faz ver quão ridículos somos quando vistos do alto. Em Abandonado, Vinícius Pinheiro leva seus personagens para reinar na estonteante São Paulo, cidade que centrifuga tudo o que há de bom e ruim numa força avassaladora. Todos tentam dar o melhor de si, mas parecem ridículos. Tentam se levar a sério, mas percebem que o mundo está se tornando uma grande piada. Somos nós lutando para sobreviver e viver nas poucas horas vagas, enfrentando dificuldades financeiras, chefes carrascos, a mediocridade e o imediatismo que nos impedem de ser um pouquinho original. Tudo é produção, tudo é pra ontem, tudo é insumo. Nas pinceladas das palavras, Vinícius vai desenhando momentos de ironia, sarcasmo, e nos faz rir das próprias desgraças, das próprias fragilidades. Assim, nos sentimos mais humanos quando viramos a última página. Faz lembrar os versos de Fernando Pessoa em Poema em linha reta: “Ora, então são todos semideuses? Onde há gente neste mundo?
O livro “Abandonado” de Vinícius Pinheiro conta a história de Alberto Franco, jornalista frustrado que sonha em ser reconhecido pelo seu trabalho no cinema e na literatura. O destino de Franco, porém, muda drasticamente quando ele conhece a dubladora Clara Bernardes, que assim como ele tem grandes sonhos e quer ser conhecida como uma atriz de sucesso.

A partir do momento que ambos se conhecem, iniciam uma relação que mistura amor, ódio, prazer e interesse, chegando a um nível doentio.

Outro ponto de virada na vida dos dois é a encomenda que Franco recebe: ele deve escrever um roteiro baseado em um livro, no qual Clara será a personagem principal. A partir desse momento fica subjetivo o que faz parte do roteiro e o que faz parte da vida real dos personagens, com eventos que influenciam a vida de todos.

foto por dear maidy

Franco é um personagem com momentos irritantes onde seu ego fala mais alto, onde acredita ser melhor que todos a sua volta. Contudo, em certas cenas ele demonstra uma insegurança latente, assim como um complexo de inferioridade e inveja de todos a sua volta. Além de Franco, temos também Clara, uma personagem que segue seus instintos e não liga muito para o que os outros irão achar de suas atitudes. Daniel, Nélio e Renato moram junto com Franco em uma república, e serão de extrema importância para a trama, escondendo segredos e possuindo passagens sérias e até cômicas.


O livro acaba trazendo sempre piadas que são verdadeiras sátiras a esse mundo editorial e artístico. Em passagens, o autor parece ridicularizar alguns personagens como forma de criticar algo maior, como quando Daniel lança um livro por exemplo, ou quando Franco começa a trabalhar na redação de um jornal ou conversa com as pessoas que trabalham na produtora do filme ou na montagem de uma peça de teatro.
" - É verdade - disse papai antes que eu pudesse responder.
- Você é daquele tipo que sempre acaba sozinho no final.".
Abandonado” é um livro que deve atrair leitores interessados em histórias que fogem do senso comum, já que nada no livro parece seguir uma linha simples, principalmente ao se aproximar do final, quando descobrimos sobre a narração, feita na voz de Franco para um personagem tanto onipresente quanto ausente.

  1. Hey Igor, faz muito tempo que não apareço por aqui né? Confesso que vim só pra ver o layout da vez :P
    Layout DIVO!
    Nunca havia escutado falar sobre esse livro. Confesso que não faz muito meu gênero não, sou mais fã daquele livro "bobo" mais "mulherzinha" haha ADORO!
    Beijos e apareça no blog ;)
    Valeu a pena esperar

    ReplyDelete