Resenha: "Para Continuar", de Felipe Colbert

Para Continuar
Felipe Colbert
Editora Novo Conceito, 2015
224 páginas
Para continuar - Envolver-se com a jovem Ayako é a oportunidade perfeita para Leonardo César esquecer a sua vida tediosa e perigosamente limitada, tudo por culpa do seu coração defeituoso. Enquanto isso, com a ajuda de seu avô, Ayako tem a difícil missão de manter inacessível um porão de dimensões que vão além da loja de luminárias que ela gerencia, repleto de milhares de lanternas orientais, cujo mistério envolve os habitantes do bairro da Liberdade. A partir dos crescentes encontros entre Leonardo e Ayako, uma nova lanterna surgirá para os dois. Eles terão que protegê-la com afinco, ou tudo que construíram juntos poderá desaparecer a qualquer momento. O que ninguém conseguiria prever é que Ho, um jovem chinês também apaixonado por Ayako, colocaria em risco o futuro desse objeto. E com ele, o sentimento mais importante que dois seres humanos já experimentaram.
Quando eu li Belleville prometi que leria qualquer outro livro do Colbert que me aparecesse a frente. Para Continuar, no entanto, não foi exatamente como eu imaginei - uma história fofa, mas bem diferente do que li em Belleville, tanto pela falta de páginas quanto o desenvolvimento dos personagens na história.


Leonardo é um jovem universitário que faz o uso diário do metrô paulista para ir a faculdade ou sair de casa, numa dessas viagens do dia a dia, ele acaba se deparando com uma moça asiática que chama sua atenção - sem explicação - e acaba criando um sentimento por aquela jovem exótica. Após tentativas falhas de contanto com a moça, ele decidi forçar um pouco a barra e segui-lá até chegar numa loja de luminárias, em Liberdade. A partir disso a vida tanto de Ayako (a jovem do metrô) quanto Leonardo acabam se entrelaçando e formando um amor impossível.

O livro é narrado em primeira e terceira pessoa, com capítulos que intercalam entre o ponto de vista do nosso protagonista quanto das coisas que acontecem com Ayako e a misteriosa loja de luminárias japonesas. Nesse livro somos apresentados a uma parte de São Paulo e temos uma degustação sobre a cultura oriental com direito de uma de suas lendas, com premissa de deixar o leitor curioso com mistério que acontece por debaixo dos panos. Contudo, senti falta de algumas coisas que me fizeram não gostar tanto do livro como imaginei, é uma leitura boa? Sim, mas não é um daqueles livros que levarei para sempre.


Senti grande falta de um desenvolvimento, a história de Leonardo César, é uma história cheia de mistério e, se bem desenvolvida, teria me ganhado logo de primeira. Porém o protagonista é um homem muito mimado (o que não se encaixa pela idade que ele tem) e apesar de ser bem desenvolvido no enredo, fiquei bastante intrigado e não consegui aguentar o jeito de como ele lidava com as situações (como esconder que sofre de um cardiomiopatia dilata idiopática) e, por muitas coisas acontecerem com ele em um pequeno prazo de tempo achei que tudo era muito forçado, sem falar que Ayako me chamou tanta atenção, mas não ganhou destaque, ela apesar de ser o amor platônico do nosso protagonista ficou como um papel de fundo para um possível romance.

As lanternas o objeto principal do livro, que está até estampado na capa, ficaram um tanto apagadas durante grande parte do livro - tínhamos uma ou duas menções sobre as lanternas, sempre havendo um grande mistério sobre o que elas realmente significavam e como poderiam afetar no romance que ali começava. Como dito, muitas coisas acontecem nesse livro em poucas páginas, creio que muita coisa ficou acumulada e não conseguiu se desenvolver com performance.


Por fim, decidi que Para Continuar é um livro bobo e fofo, mas que não me surpreendeu ou me encantou da forma como precisava - talvez isso tenha ocorrido por antes de ler esse livro eu ter lido A Playlist de Hayden, um livro que realmente mexeu comigo -, posso ter acabado pegando esse livro numa hora errada e tudo que estava escrito parecia que eu já conhecia a historia e sabia do final (sim! eu sabia que tudo aquilo iria acontecer e sentia). Porém não posso de falar: "dê uma chance a esse livro", pois muitas pessoas gostaram desse romance e acho que você não deve negar essa leitura somente por minha opinião!

_DEIXE UM COMENTÁRIO

  1. Que pena ser uma história bobinha e sem algum acontecimento marcante. Esse é um livro que eu quero muito ler porque vi alguns comentários e acho que vou me identificar. Por falar da cultura japonesa, se passar no bairro da Liberdade e ter essa coisa de amor de metrô acho que vou curtir a leitura. Ah, e estou in love com essa capa. <3

    Beijos!
    http://www.prateleiracolorida.com.br/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Muita gente gostou desse livro, passe aqui para me dizer o que achou.

      também acho essa capa muito amô

      Delete