// 3 Oct 2015

Eu bebi todas, por mim e não por você



Inicialmente foi por sua causa, te ver aquela noite, antes da minha viagem - sabendo que iríamos para o mesmo destino, mas em cadeiras distantes e lugares mesmo que perto, longínquos. Decidi que se não poderia fazer parar de doer, eu iria, por fim, beber até esquecer. Eu iria fazer besteira e dizer um  adeus àqueles planos que fizemos juntos, enquanto pensávamos que isso era amor para toda a vida. 

Eu sairia arrastado daquela festa, eu iria beijar todo mundo e todo mundo me beijaria. Beber para esquecer, porque beber nunca fez meu estilo, nunca me fez o paladar e muito menos o gosto. Eu queria te esquecer aquela noite, provar que não dependo mais de você para me sentir bem comigo mesmo, provar que você não estragou a minha vida e que muito menos você influenciará novamente nela. 

Eu decidi que aquela seria a minha última noite pensando em você, que enquanto eu enchia a cara, aquela seria nossa última noite, pelo menos para mim. De fato, bebi por você com a intenção de fazer bem para mim. Você que machucou meu coração e terminou tudo por mensagens de celular, não se importou com as consequências que acarretaria ao brincar de amar. Isso ficou bem claro na última sexta-feira, que eu gastei metade do meu salário com bebidas caras, amigos que nunca mais verei e histórias que provavelmente não contarei para os meus pais: foi tudo uma brincadeira, você brincou de se apaixonar, e eu, coitado de amar.

Naquela noite, eu disse adeus a mim, ao meu antigo eu, o eu que doava e nutria um sentimento por você. O eu que se prendeu durante semanas, achando que tudo voltaria e ficaria normal. Mas você nunca voltou, nunca ligou. E ficou óbvio que não faria isso. E só de manhã, ao ser carregado para casa, eu prometi que nunca mais beberia, não daquela forma, não por você.

Nem por mim. Nem por outro alguém.

Porque quando for verdadeiro, não haverá sofrimento. 

  1. Admiro quem consegue transbordar sentimentos/pensamentos em palavras, principalmente quando tocam o outro, mesmo de tão longe. Seus textos incrível Igor. ♥

    ReplyDelete