Resenha: "O Pequeno Príncipe", de Antoine de Saint-Exupéry

1 Sep 2015

O Pequeno Príncipe
Ediçao com fotos e estudo sobre a vida e obra do autor.
Antoine de Saint-Exupéry
Editora Geração, 2015
160 páginas
Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida. Com essa história mágica, sensível, comovente, às vezes triste, e só aparentemente infantil, o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry criou há 70 anos um dos maiores clássicos da literatura universal. Não há adulto que não se comova ao se lembrar de quando o leu quando criança. Trata-se da maior obra existencialista do século XX, segundo Martin Heidegger. Livro mais traduzido da história, depois do Alcorão e da Bíblia, ele agora chega ao Brasil em nova edição, completa, com a tradução de Frei Betto e enriquecida com um caderno ilustrado sobre a obra e a curta e trágica vida do autor.
Você conhece esse livro, não e? Se não conhece, já ouviu falar, tenho certeza. Dizem que esse é um livro voltado para o público infantil, concordo, porém esse livro, no meu ponto de vista, é voltado para todo e qualquer tipo de leitor e não leitor: uma narrativa dócil, simples e que provoca muita, mas muita, reflexão. O livro, por fim, foi publicado agora pela Editora Geração, com um cuidado incrível e com extras da vida e obra do autor.
“ É bem mais difícil julgar a si mesmo que julgar os outros. Se conseguir julgar a si mesmo, provará que é um verdadeiro sábio.”
Eu sempre senti uma necessidade em ler esse livro, pelo simples fato dele ter frases perfeitas e por ser o favorito de várias pessoas que eu conheço. Quanto recebi esse presente maravilhoso, não ouve dúvida: eu leria O Pequeno Príncipe e não só isso, mas eu leria numa edição de luxo e super trabalhada - o que só deixou tudo mais mágico. Falar de mágica é falar do personagem de Antoine de Saint-Exupéry, um personagem diferente, nocivo e bom de coração.


O Pequeno Príncipe é um personagem muito inteligente, mas com a inocência de uma criança - que busca o sentindo em ser adulto. Após perambular por diversos mundinhos - o do rei, o vaidoso, o bêbado, o homem de negócios, o acendedor de lampiões e o geógrafo - o principezinho pousa na areia escaldante do deserto aqui na Terra e por pura coincidência encontra um piloto que caiu ali perto. Com isso, logo eles viram amigos e o pequeno príncipe conta sua história e as esquisitices que viveu antes de chegar à Terra.

"– Só se conhece bem o que se cativa – observou a raposa. – As pessoas já não têm tempo de conhecer nada. Preferem comprar tudo pronto nas lojas. Como não existem lojas que vendem amigos, as pessoas não têm mais amigos. Se quer um amigo, trate de me cativar!"
“Nunca deveria tê-la abandonado. Deveria ter captado sua ternura por trás de seu jeito rude. Como as flores são complicadas! Mas eu era ainda muito jovem para saber amá-la!”

O Pequeno Príncipe é um livro incrível, ainda mesmo que escrito de modo muito simples, ele trás mensagens muito grandiosas para nossas vidas. O principizinho é uma criança à procura de seus porquês e pelo sentindo da vida; coisas que atualmente já não procuramos com tanta frequência, é engraçado que quando começamos a crescer deixamos a imaginação à parte e ficamos cada vez mais ligados a logica, prova e materialismo - coisas que não são realmente importantes para nós e que o pequeno príncipe mostra como coisas simples o fazia e faz feliz, por exemplo, olhar o pôr do sol, as estrelas e cultivar uma pequena rosa.

Uma grande crítica. Crescer não é ruim, mas o ruim é esquecer tudo. É esquecer as prioridades da vida e deixar-nos roubar por tão pouco: seja por querer conquistar tudo, ter todas as coisas do mundo, controlar tudo ou simplesmente não aceitar as outras pessoas.Esse é um livro demasiadamente curto para o tanto de coisas que ele ensina, melhor que qualquer outro autoajuda - são tantos assuntos, desde amor à tristeza, sentindo da vida, coisas que nos faz feliz. Acho que precisamos começar a largar nossos mundinhos e começar a se aventurar em tudo isso, fazer valer a pena todo o nosso tempo (engraçado que no momento em que escrevo essa resenha, consigo absorver mais coisas do livro!).


Essa edição recebeu todo o luxo que merecia, tornando essa obra ainda mais mágica, além de contar com um capítulo inteirinho somente com a biografia do autor, que viajou por diversos lugares, inclusive aqui no Brasil e sobre os seus outros livros, sendo que O Pequeno Príncipe foi seu último romance e que fez um grande sucesso (bota grande nisso!), mas que infelizmente ele não pode acompanhar.

Acho que está visível que recomendo esse livro. É indicado para qualquer um que já saiba ler, desde criança de 8 anos à 80! É um livro curto, mas grandioso, apesar de ser um dos livros mais vendidos no mundo, não foi todo mundo que leu, mas é um livro que merece ser lido por qualquer um e por todos.



1 comments:

  1. Adorei essas fotos, que livro lindo.

    ReplyDelete