Resenha: "Zac & Mia", de A. J. Betts

24 Sep 2015

Zac & Mia
A. J. Betts
Editora Novo Conceito, 2015
288 páginas
Zac e Mia - A última pessoa que Zac esperava encontrar em seu quarto de hospital era uma garota como Mia - bonita, irritante, mal-humorada e com um gosto musical duvidoso. No mundo real, ele nunca poderia ser amigo de uma pessoa como ela. Mas no hospital as regras são diferentes. Uma batida na parede do seu quarto se transforma em uma amizade surpreendente. Será que Mia precisa de Zac? Será que Zac precisa de Mia? Será que eles precisam tanto um do outro? Contada sob a perspectiva de ambos, Zac e Mia é a história tocante de dois adolescentes comuns em circunstâncias extraordinárias.
Apesar se já ter falado que não estou numa temporada para ler romances, resolvi apostar em Zac & Mia, um livro que me conquistou pela capa e sinopse. Um livro curto, mas cheio de humor, sentimento, amor e beleza. 


Zac é um jovem rapaz com leucemia - podemos ser diretos aqui, não é? Que está negligenciado à um quarto e somente a ele durante 40 dias, tudo isso após a nova aplicação de (esqueci o nome da peste), com isso ele precisa de um período para se recuperar e ficar isolado evita que ele pegue qualquer contaminação vinda do mundo externo. O seu único refúgio além do apetrechos tecnológicos é a sua mãe, que insiste em  jogar jogos bobocas e ser superprotetora. Mas quando, finalmente, uma nova paciente chega ao quarto ao lado de Zac, ele encontra a diversão: bater na parede. Comunição via tapas na parede. Estranho? Não, Mia, a recém chegada, que é estranha. Podemos dizer que Mia é aquela garota insuportável e clichê, bonita, popular, cheia de amigos... Com exceção do câncer em sua perna. O câncer mudou a sua vida, enquanto para Zac, o câncer nasceu com sua vida.  Voltando de onde parei, Mia não aceita estar doente, assim como não aceita perder o famoso e esperado baile da escola, ela é estranha, acredite, você precisa ler pra conhecê-la. 

Nesse romance somos acomeditos a um amor platônico e sem fim, por parte do nosso fofo e galã Zac. Mia é uma vaca mimada, desculpe as palavras. Mas ela simplesmente não aceita nada que vá contra suas vontades, com isso ela decide fugir, para longe, mas nessa história toda ela e Zac, nosso galã, acabam se encontrando. Não poderia ser de forma diferente: muitas reflexões nesse momento e não somente nele, vale lembrar, Zac é muito filosófico e ínteligente. Mia é mimada. 

Mas eu gosto da Mia também. 


A narrativa é dividida entre Mia e Zac, capítulos curtos, rápidos e cativantes. Gosto desse tipo de leitura: onde temos personagens sinceros e bem explorados;  lidamos com a história trágica de dois adolescentes e como elas são encaradas de formas diferentes. Eles não escolheram estar doentes. Mas aconteceu, acontece todos os dias. Apesar de ser um romance! Não há aquele romance, é algo mais platônico, mas filosófico, estava com saudade disso. De calmaria em um relacionamento. Adorável cada segundo em que Zac descrevia o que sentia por Mia. E o quanto Mia aprendeu após sua doença, como passou a valorizar coisas que realmente são importantes para a vida. 


Um livro com direito a lágriminhas no final, algo fofo, coisa de sick-lit, mas nada dramático, de arrancar o peito e gritar "que vida mais injusta, meu Deus". Leve, simples e impossível de largar - acredite, peguei para ler somente pela capa diferente, acho que já disse isso. Qualquer um irá amar esse livro, delicado e cheio de expectativas, algo para projetar e tirar alguns ensinamentos. O que realmente vale a pena? Recomendado, mas é claro, sick-lits são sempre bem-vindos para uma pós temporada de ação! 

2 comments:

  1. Oi, Igor! Finalmente consegui achar um tempo de vir ao seu blog, e está tudo tão lindo por aqui! Adorei esse layout, bem diferente e organizado. Dá pra ver que você pensou em todos os detalhes.
    Eu comecei a ler Zac & Mia mais ou menos pelos mesmos motivos que você. Estava lendo (e ainda estou) Prometo falhar e precisava de alguma leitura pra intercalar, pois o livro é um tantinho denso pra ler sozinho. O que aconteceu foi que eu larguei tudo e só li Zac & Mia. O livro é realmente tocante, mas não de uma forma tão triste quanto ACEDE, por exemplo. E a Mia é muito irritante, mas eu também não a odiei. Dá pra entender porque ela faz tudo o que faz. Enfim, é realmente uma leitura que todos vão amar.
    Beijos e bom fim de semana pra ti!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ai Gabi, saudade de você por aqui. Obrigado, esse layout realmente veio para mudar tudo, estava afim disso!

      Exatamente, me sinto como você nesse quesito, é um livro que toca, chega até ser triste, mas ele para por aí, acho que o foco dele não é fazer a gente chorar, mas sim pensar. Entendo totalmente o porquê Mia toma aquelas atitudes, quem não tomaria?

      Estou louco para começar a ler Prometo Falhar, parece ser um livro bastante tocante e pesado!

      Beijão, obrigado por vir aqui, volte sempre que quiser eeeeeeeeeeeeeee.

      Delete