Resenha: "Alta Fidelidade", de Nick Hornby

Alta Fidelidade
Nick Hornby
Companhia das Letras
312 páginas
Rob é um sujeito perdido. Aos 35 anos, o rompimento com a namorada o leva a repensar todas as esferas da vida - relacionamento amoroso, profissão, amizades. Sua loja de discos está à beira da falência, seus únicos amigos são dois fanáticos por música que fogem de qualquer conversa adulta e, quanto ao amor, bem, Rob está no fundo do poço. Para encarar as dificuldades, ele vai se deixar guiar pelas músicas que deram sentido à sua vida e descobrir que a estagnação não o tornou um homem sem ambições. Seu interesse pela cultura pop é real, sua loja ainda é o trabalho dos sonhos e Laura talvez seja a única ex-namorada pela qual vale a pena lutar.
Alta Fidelidade é um chick-lit para homens, encenado nos anos 90 e contando a história de um homem muito pegador, Rob Fleming, um ex-DJ, dono de uma loje de discos à beira da falência, que não consegue criar um relacionamento descente e nunca entende o porque de tantos foras em sua vida. Logo no começo do livro nos deparamos com a sua última e inesperada separação de Laura, mas apesar dele levar fora como esse quase sempre em sua vida, dessa vez ele não consegue se conformar com o término, pois nutre verdadeiro e fortes sentimentos por Laura, logo com isso, analisamos junto com o protagonista saber o que aconteceu de errado para que seu relacionamento terminasse enquanto lidamos com o seus amigos e o trabalho em sua loja - para tentar superar o fim do namoro, Rob lista os cinco piores términos de namoro de toda a sua vida, começando pela primeira namorada, que conheceu nos tempos de colégio, até chegar às relações da fase adulta.


Foto por Revista 21

Aqui, em Alta Fidelidade, encontramos um diálogo de uma pessoa só: o protagonista conta a sua triste história colocando culpa em uas ex-namoradas. De fato, é um personagem um pouco desagradável, imaturo e isso ficou bem claro quando ele se descrevia, é fácil notar o quanto ele é transparente nesse quesito. Ele é um homem superficial, que acaba julgando as pesoas pelos seus gostos e conhecimento musicais. De longe ele está pronto para um namoro sério e creio que por isso, por ser bastante infantil, ele acabe colocando a culpa em suas ex-namoradas.

Acabamos sendo arrematados a diversos bandas e músicas - assim como acontece em Do que é feita uma garota -, porém nesse livro temos muito mais sobre música e como ela pode estar envolvida em tanta coisas na nossa vida, adoro livros musicais, eles acabam dando uma singularidade para a oba.Esse é um livro indicado para qualquer pessoa, mas apenas um terço de pessoas realmente irão gostar dele. Como já dito é um livro para homens, mas que podem ser muito bem lido pelo gênero feminino - aqui, vocês, mulheres, poderão ver alguns pensamento bastante masculinos (o autor ideliza algumas coisas) e como somos bastantes inseguros apesar da pose de "machão".

Com isso, somos apresentados numa escrita fluída e até mesmo envolvente, Nick apresenta ao leitor um drama de relacionamento modernos. Apesar de ser um liro ambientados há algumas décadas atrás, o enredo e os tema abordados nessa obra são de caráter atuais. Através da história de Rob, o autor não demonstra dificuldade em falar dos problmas mais comuns do homem do século XXI, como o medo de relacionamento e de confiar em outra pessoa, além da dificuldade de amadurecimento e excesso de egoísmo.

_DEIXE UM COMENTÁRIO

Post a Comment