Resenha: "Bloodlines: Coração Ardente", de Richelle Mead

9 Jul 2015

Coração Ardente
Bloodlines, volume 04.
Richelle Mead
Editora Seguinte, 2014.
416 Páginas
No quarto volume da série Bloodlines, enquanto Sydney Sage esconde seu romance ardente com o vampiro Adrian Ivashkov, a ameaça de ser descoberta — e mandada para a terrível reeducação — é maior do que nunca. Criada desde criança para desprezar os vampiros, a alquimista Sydney Sage acabou vencendo seus preconceitos em sua última missão. Aos poucos, a garota não só criou laços de amizade com esses seres como acabou se apaixonando por um deles — o irresistível Adrian Ivashkov — e, surpreendendo até a si mesma, decidiu levar o relacionamento proibido adiante, em segredo. Tudo se complica quando Zoe, sua irmã, se junta à missão. Sydney precisa guardar seu segredo enquanto tenta fazer com que a caçula perceba como as crenças alquimistas estão equivocadas. Enquanto isso, Adrian sofre com os fortes efeitos do espírito — um elemento mágico que, ao mesmo tempo em que lhe confere poderes, pode levá-lo à loucura. Sydney é seu maior incentivo para abrir mão desses poderes e buscar uma saúde mental equilibrada, mas Adrian nem consegue imaginar como seria vê-la machucada e não poder fazer nada. Agora, ele precisa escolher entre sua sanidade e a capacidade de ajudar a todos — especialmente aqueles que amam.
Coração Ardente, para mim foi outra surpresa assim como os outros volumes, mas acho que não estou preparado para continuar a série, vou explicar o porquê, mas antes disso vamos saber do que se trata a história: Sydney Sage, contra todas as suas expectativas e repúdios se apaixonou por um vampiro - Sage, criada tendo medo e desprezar essas criaturas, ela acaba se envolvendo com Adrian Ivashov, um chupador de sangue, em uma de suas missões alquimistas. Sage surpreende a si mesmo quando percebe que está apaixonada por um vampiro e ela percebe o quanto está temente a isso e como será mais difícil esconder dos alquimistas quando sua irmã mais nova, Zoe, entra para ajudar na missão.

Bloodlines então se baseia em um romance proibido e uma guerra supostamente calma entre alquimistas, vampiros, dampiros, bruxas e caçadores de vampiros. Inicialmente as brigas entre essas raças foram sendo acabadas quando os alquimistas começaram a mascaras a existência desses outros seres, desde então, esse é o trabalho dos alquimistas - tanto é que a atual missão é proteger uma princesa vampira. A história é realmente extensa e cada volume tende a acrescentar cada vez mais esse universo, caso você esteja um pouco perdido confira outras resenhas clicando aqui.


Esse novo volume da série, ousa uma nova narrativa: agora também pelo ponto de vista de Adrian. De certo modo, achei bastante valido no começo - ver o ponto de vista do garanhão, poderia sim, tornar tudo mais emocionante. Só que não. O que realmente aconteceu de fato foi a leitura ficar arrastada, perdemos o encanto pelo personagem ao perceber o quanto tudo estava exagerado. Grande parte do enredo estará, dessa vez, focada no romance de Sage e Adrian, e em como eles não podem estar juntos, afinal, ela é uma alquimista e ele é um vampiro (expliquei lá em cima!) e por este motivo creio que a leitura, para mim, perdeu um pouco de foco e também ficou um pouco mais cansativo - estou numa fase em que não estou tão afim assim de romances desvassaladores.



Os personagens secundários, dessa vez, não teve vez, foram bastante esquecidos e apareceram poucas vezes - assim como o enredo principal. Senti também que a série mudou muito do primeiro livro para cá, estávamos bastantes ligados ao eventos que ocorriam na missão e também coisas que estavam se integrando a série, em Coração Ardente, senti que todo esse contexto abordado nos outros volumes foi deixando um pouco de lado para dar foque aos protagonistas (ou satisfazer o que as leitoras tanto desejavam) e o que há estava previsto desde início da série.



Estou com muita dúvida se continuo a ler a série, creio que o rumo da história mudou muito desde o terceiro volume (resenha aqui). A série, que no primeiro volume me deixou extasiado começou a perder a credibilidade neste volume, mas ainda assim, muitas leitoras ficaram loucas com o astro da série, Adrian. Se julgando a série pelos três primeiros volumes, eu recomendaria com certeza, mas neste volume, já não posso mais dizer o mesmo - pode ser (e espero!) que a autora volte para a história mesmo, que os suspiros que teríamos durante a série com o casal (Sage e Adrian) possa acontecer com mais suavidade e a história ganhe mais destaque!

0 comments:

Post a Comment