Resenha: "Uma Questão de Confiança", de Louise Millar

Louise Millar
Editora Novo Conceito
384 páginas
Em um subúrbio tranquilo de Londres, algumas mães se ajudam através de amizade, favores e fofocas. No entanto, algumas delas não parecem confiáveis e outras têm segredos obscuros. Quando Callie se mudou para seu novo bairro, pensou que seria fácil adaptar-se. Contudo, os outros pais e mães têm sido estranhamente hostis com ela e com sua filha, Rae, que também descobriu como é difícil fazer novas amizades. Suzy, seu marido rico e seus três filhos parecem ser a única família disposta a fazer amigos, mas, recentemente, a amizade com Suzy anda tensa. Ainda mais com a atmosfera pesada que pairou sobre o bairro após a chegada da polícia e o relato de um possível suspeito morando no bairro. O que Callie e sua pequena Rae podem esperar? Em quem confiar? E, sobretudo, como imaginar que certas atitudes rotineiras podem colocar em risco a vida de sua pequena filha? Verdades e mentiras parecem se esconder nestas pequenas casas.

Quando Callie e a filha, Rae, se mudam para um novo bairro, não imaginou o quantos os vizinhos fosse tão hostis com os recém-chegados: ela uma mãe solteira e desamparada e sua filha com problemas cardíaco. Triste ela resolve se isolar em um lugar tranquito de Londres. A única exceção à regra é sua vizinha Suzy, ambas se conheceram em circunsta cias cruéis, após isso se tornaram melhores amigas. 

As duas são o oposto uma da outra, e logo somos inseridos ainda mais na vida de Suzy, conhecemos seu marido e seus três garotinhos.  Quando Callie precisa que alguém pegue sua filha mais nova na escola, já que ela não poderá chegar a tempo, sua vida vai mudar totalmente, algo terrível acontece com Rae e a história gira em torno disso. 

''Nada com o que se preocupar no entanto. Já tinha conhecido menininhas como essa antes e sabia como lidar com elas...''
O livro inicialmente pacato e chato, logo começou a ruborizar-se de algo surpreendente: você, a medida que conhece os personagens, vai gostando mais e querendo saber o que acontece com todos os envolvidos. O suspense que prolonga em longa dos capítulos faz com que eles terminem em poucos minutos, observamos narrativas intercaladas entre os personagens - e podemos ter um olhar supervisor e total sob todos os suspeitos, mesmo sem entender muito bem o que realmente aconteceu. 

"Uma questão de confiança" é um livro forte, sem dúvidas. Mas isso não impõe uma narrativa massante durante toda a narrativa, em algumas horas ficamos tão impressionados com o enredo proposto por Millar, que até chegamos a pedir bis. Será que podemos confiar em alguém? 

Recomendo esse livro para que gosta de um bom e velho suspense psicológico perturbador, certamente vai tirar bons suspiros e deixar qualquer um extasiado, cheio de drama e investigação. Cabe ao leitor ver que está certo ou errado, leia para descobrir quem é o verdadeiro vilão. 

Post a Comment