Resenha: "Mulheres que escolhem demais", de Lori Gottlieb


Lori Gottieb
Editora Novo Conceito
288 páginas
“Hoje, elas querem que o homem seja igual à mulher. Querem falar com ele do mesmo jeito que conversam com as amigas. Isso é com os gays! Os gays conversam por horas, fofocam, falam sobre a vida pessoal... os héteros não. Eles não querem aprofundar-se nos sentimentos. Há um grande desentendimento no casamento moderno porque mulheres e homens não têm tanto em comum assim.”

“...os homens têm de mudar seu comportamento para se encaixar nelas. As mulheres pedem a eles que sejam o que não são e, quando eles se tornam o que não são, elas não os querem mais.”

“O feminismo cometeu o engano de tentar reduzir a vida feminina as conquistas profissionais.” - Camille Paglia

Mulheres que escolhem demais é um livro atípico, sensato e voltado para o público feminino: envolvendo situações como relacionamentos e temáticas da vida amorosa  - paixão, amor - e até mesmo os encontros frustantes e expectativas que fazemos quando estamos gostando ou relacionando com alguém que meche conosco <3.  O livro trás várias indagações e faz a leitora pensar no que realmente ela quer na sua vida. O que uma mulher realmente quer num relacionamento? Não existe uma fórmula para encontrar a pessoa dos seus sonhos ou perfeita, mas exite modos para você encontrar a pessoa que possa te fazer feliz e que te complete, a autora faz suas leitores pensarem com seriedade de capítulo à capítulo.

Não é um livro com uma história, mas tem momentos que dá para se identificar com o livro. Momento que você já passou ou algum dia passará. A leitura deste não é maçante ou cansativa, na verdade o livro se desenrola amigavelmente. A autora, pode-se perceber, se empenha em trazer um livro dinâmico e trás com cuidado tudo o que quer abordar: esse não é um livro sobre conselhos amorosos, mas sim das experiências da autora, mostrar a realidade e não o conto de fadas que estamos acostumados a ler. 
“É como ser um juiz nas Olimpíadas que dá aos homens uma classificação de ‘marido’: todo mundo começa com um 10, depois o juiz tira pontos de qualquer imperfeição. Ele não é divertido o bastante? Menos dois pontos. Suas sobrancelhas são cerradas. Menos um ponto.”
Lori tenta mostrar para as pessoas, principalmente para as mulheres, o que um relacionamento a dois realmente deve ter, o que se espera da outra pessoa, como reagir em situações controversas, o que fazer para conseguir alcançar um bom relacionamento, o livro fala sobre o que toda mulher espera num relacionamento sério. Assim, como outras muitas mulheres, a autora estava procurando alguém para casa, afinal, chegando nos 41 anos, já estava na hora né? Com isso, procurando alguém perfeito, ela decidiu escrever um livro. Fazendo entrevista com várias mulheres Lori descobriu que o homem ideal, para a maioria das mulheres, nunca apareceram, que ficaram esperando o cara certo, mas ele nunca chegou e elas só envelheceram, pois é isso o que realmente acontece se não soubermos lidar com os defeitos dos outros. 

Mulheres são frescas. Não pode ser muito alto, não pode ser muito baixo; nem magro muito menos gordo, tem que ser carinhoso, romântico, bonito... isso acaba deixando a mulherada com expectativas lá em baixo, afinal, existe homens assim? Se o cara é gostoso e romântico/carinhoso, é quase provável que seja gay (isso diminui ainda mais o percentual para as mulheres). A autora releva também as desculpas esfarrapadas que usam para dar o fora nos homens, chega a ser engraçado, perceber como a mulherada pode estar perdendo o homem da sua vida por pouca coisa. 

_DEIXE UM COMENTÁRIO

Post a Comment