Resenha: "Cordeluna", Élia Barceló

Cordeluna
Élia Barceló
Editora Biruta, 2011.
310 páginas
Mil anos atrás, uma história de amor foi interrompida pela desgraça e uma maldição. Um poder tão maligno que tinha conseguido dominar seus espíritos geração após geração. E enquanto isso, os apaixonados esperam… condenados a se reencontrar e voltar a se perder por culpa do ciúme e do ódio. O cavaleiro e a dama. O guerreiro e a donzela. Até que talvez um dia, talvez em nossa época, séculos depois, um poder superior e benigno consiga pôr um fim ao malefício. Apaixonante novela que combina história e fantasia, amor e maldade, bruxaria e religião, criada pela escritora Élia Barceló, conhecida como a “Dama Negra” da literatura espanhola, ganhadora em duas oportunidades do Prêmio Edebé de Romance Juvenil. A história se passa na Idade Média e é muito bem retratada no livro, que destaca costumes e valores da época. As sangrentas guerras entre muçulmanos e cristãos pela expansão e posse de seus domínios. No posfácio, a editora explica os diferentes períodos da História e descreve a fascinante personalidade de El Cid.
Fazia um bom tempo que eu sinto vontade em ler Cordelunaganhador do Premio Edebé de Literatura Juvenil. Para falar a verdade, desde quando o livro lançou tenho olhado com certa vontade para ele. Quando o livro chegou, através da parceria firmada entre o Sete Coisas e a Biruta, não deu outra: logo ele estava na minha lista de próximas leituras. Quando comecei a ler, fui com vontade e para minha sorte e alegria descobri que Cordeluna é um livro acima de tudo fofo, mas cheio de reviravoltas, histórias e mistérios.


De fato é um livro histórico, buscando mesclar duas épocas numa mesma história: intercalando o romance entre dois jovens no século XXI e entre o casal que viveu no século XI: Sancho, um dos guerreiros de El Cid, e Guiomar, condessa de Peñalba, que teve muitos obstáculos em seu romance, além das diferenças de classes entre os dois, a madrasta de Guiomar, Brianda, tinha uma certa caída por Sancho. Brianda ao descobrir que Sancho não tinha mais olhos para ela e somente para Guiomar, fica louca e fará de tudo para mudar o destino, afinal, ela tem poder para isso.

Paralelamente, nos tempos mais atuais temos Sérgio e Glória, que se conhecem num acampamento de teatro para contracenar a história de Eld Cid. Na primeira olhada ambos se apaixonam e ficam intrigados sem saber explicar como surgiu aquele sentimento. Assim como ocorreu no passado. os jovens terão um obstáculo: Bárbara, uma das professoras, que ficou encantada por Sérgio, mas, hmmmm, Sérgio não tem olhos para outra mulher a não ser Glória, será que Bárbara conseguiria ficar sem fazer nada com o poder que ela tem sobre os alunos?
“Quando estendeu a mão para pegar a espada, que o pai lhe oferecia, Sancho sentiu que todos os seus músculos tremiam, como se tivesse feito um grande esforço. Quase teve de obrigar-se a brandir aquela arma, como se temesse que ela se movimentasse por vontade própria, mas, então, olhou para a pedra-da-lua e foi como olhar para um céu de verão sulcado por delicadas nuvens dançando muito altas”


O livro de Élia Barcelo foi uma surpresa para mim, apesar de há muito tempo estar querendo ler esse livro, eu não sabia qual a verdadeira trama me aguardava, não imaginava como os personagens eram inseridos na história e muito menos como a história se construía, e é tudo muito bem arranjado: como os enredos vão entrando um contra o outro, iniciando com contracena de capítulos e no fim, somando em somente uma história. 

Cordeluna parece muito com livro brasileiro, os nomes, as cenas, as gírias - gostaria de saber se o livro é contado dessa forma, ou se a Editora importou-se de deixar desse modo tão parecido com as obras publicadas aqui. E se sim, não foi somente nisso que a Biruta se importou, o livro é lindo por dentro, com capítulos de corados  e letras em azul, mesmo sendo impresso em folha branca a leitura não se torna desagradável, pois a história toma conta que nem chega a ser perceptível a cor da folha. 


Mas o que realmente nos ganham num romance histórico, além da história cheia de reviravoltas e mistérios, são os personagens!  Personas bem desenvolvidos e cheios de carisma, alguns ganham destaque de primeira, fazendo já seus papéis de protagonista, mas outros secundários também se destacam no avanço das capítulos. Esse é realmente um livro que agrada todos os níveis de leitores, desde aqueles que adoram um romance (seja histórico ou não) há aqueles que gostam de suspenses e mistérios. A autora faz uma boa dosagem de romance e de mistério em seu livro, deixando sempre aquele gostinho de quero mais a cada página, recomendo a leitura, é um livro leve e muito fofo! 

“No coração de Castela, na escuridão, um poder aguarda o momento. Passaram-se quase mil anos e o tempo está acabando. As linhas do passado convergem para o presente para que o futuro possa existir. (...) Em diferentes lugares da Espanha, sem saber que fazem parte de uma trama iniciada muitos séculos atrás, vários jovens sonham com as coisas que o verão lhes trará. Não é a primeira vez que acontece, mas é a última oportunidade, embora eles não saibam.”
Abaixo o catálogo lindo e maravilhoso da Biruta 

_DEIXE UM COMENTÁRIO

Post a Comment