Resenha: "Caninos em Família" de Kevin Wilson

19 May 2015

Caninos em Família
Kevin Wilson
Editora Companhia das Letras, 2014
392 páginas
Faz anos que Annie e Buster Caninus saíram da casa dos pais, mas nem por isso a influência familiar deixou de pesar sobre eles. Criados em um ambiente confuso, no qual o projeto artístico de “vanguarda radical” dos pais funcionava como epicentro da vida em família, eles se tornaram adultos sem capacidade de tomar as próprias decisões.

Annie é atriz de cinema, mas depois que fotos suas de torso nu vazaram na internet, ela decide se esconder dos holofotes na antiga casa dos pais. Buster acaba de levar um tiro no rosto e, ainda que o projétil responsável pelo acidente tenha sido uma batata, o estrago causado é enorme, levando-o a pedir refúgio na sede dos Caninus.

Caleb e Camille recebem os filhos com a expectativa de reviver os antigos tempos de glória, quando podiam contar com a participação das crianças nos happenings que planejavam. Mas dessa vez Annie e Buster não parecem muito dispostos a se expor a mais uma situação bizarra.
A partir dessa tensão, pais e filhos vão testar a validade do modelo familiar que os tornou inseparáveis. Para uns, o que importa é descobrir se o que deu errado em suas vidas tem mesmo origem no projeto tresloucado dos pais, enquanto para outros trata-se de optar entre seguir em frente sem os filhos ou alterar radicalmente seu propósito de vida.

O aparente absurdo das situações descritas ao longo da narrativa ganha sentido com a construção de uma trama potente e emocionante, no qual os limites entre arte e vida serão postos à prova. Não por acaso os direitos de filmagem do livro foram comprados pela atriz Nicole Kidman.

O primeiro capítulo de Caninos em Família me deixou confuso, Kevin Wilson escreveu uma obra que eu não dava nada, logo depois do terceiro capitulo eu comecei a imaginar um filme na minha cabeça, e o autor conseguiu fazer com que eu assistisse a um filme lendo um livro, eu espero que uma adaptação cinematográfica seja feita, com direito a roteiros de Kevin Wilson, e pitacos na direção.


Ser artista não é fácil, para muitos que pensam que o reconhecimento monetário possa ser o suficiente, para outros a verdadeira arte é o que importa, Caleb e Camille Caninus são um casal que tem dois filhos, você pode chamá-los de Criança A e B ou Annie e Buster, o tipo de arte dessa família é de intervenção, eles criam situações onde deixam as pessoas intrigadas, situações onde ninguém desconfiaria que tudo foi um simples esquema de uma amostra da arte experimental dos Caninus. Annie e Buster crescem e acabam desapontando seus pais, buscam caminhos na arte que seus pais não acreditam ser arte genuína, Annie uma atriz indicada ao Oscar, e Buster um escritor de dois livros que não venderam muito.



O livro é feito para entreter o leitor do inicio até o fim, talvez você consiga encontrar algum ápice, e apesar do autor tentar realizar um final mais surpreendente que todo o livro, o final não é necessário para fazer com que se sinta satisfeito antes mesmo de chegar nele.

Louco, curioso e confortável seriam as palavras que usaria para descrever este livro, eu indicaria para quem é curioso e para quem tem uma vida dentro dos padrões normais, e realmente é um livro que não precisa de um grande final.



Porém ao final do livro fiquei em dúvida se amei ou só gostei, não é um livro que leria duas vezes, por ter fatos tão concluídos, mas talvez fosse um filme que assistiria varias, Kevin foi feliz na publicação de Caninos, é perceptível que o livro foi feito para que você leia de uma só vez, ou o mais rápido que conseguir.

Queria um livro só de happenings, intervenções da família Caninus.


1 comments:

  1. Uau, o livro parece ser bem legal. Quase nunca leio livros meio ~desconhecidos~mas a companhia tem muitos livros legais que eu quero ler e não são muito falados por ai. Tipo esse que não conhecia e já quero ler. :P

    Gosto de livros que não tem um final "wooow" mas mesmo assim são bons.

    Beijos!
    http://www.prateleiracolorida.com.br/

    ReplyDelete