Filme: Boyhood - Da infância à juventude


Boyhood, 2014
Richard Linklater
2h45min.
O filme conta a história de um casal de pais divorciados (Ethan Hawke e Patricia Arquette) que tenta criar seu filho Mason (Ellar Coltrane). A narrativa percorre a vida do menino durante um período de doze anos, da infância à juventude, e analisa sua relação com os pais conforme ele vai amadurecendo.

Grandes expectativas é o que definiu minha vontade de assistir o tão aguardado filme que foi gravado em 13 anos, sempre que falo pra alguém que esse filme demorou 13 anos para ser gravado, a reação é basicamente a mesma: Curiosidade, eu sei que não sou um critico, e essa é a minha primeira resenha de filme, mas Boyhood não é um bom filme, salvo a atuação da Patricia Arquette, que mostra que sempre foi uma boa atriz, mas as atuações de Ellar Coltrane e Lorelei Linklater nem sempre foram boas, acredito que para a forma pessoal, é bacana ver o crescimento profissional tão claro, mas pode ser constrangedor, por ser um filme tão popular, mas esse ponto de vista pode ser visto como uma coisa boa.


Olivia Evans e Mason Evans Tiveram filhos em uma época pouco maduro para ambos, a falta de perspectiva fez com que Mason abandonasse a família e fosse a busca de seus objetivos pessoas, Olivia agora cuidado dos filhos sozinha e sem dinheiro, resolveu então voltar para faculdade, nessa busca por novas oportunidades, se apaixonou pelo professor, que já possuía dois filhos, outra relação sem sucesso, pois o mesmo enfrentava alguns problemas com álcool. Samantha é uma típica adolescente que dá trabalho, pinta os cabelos de cores gritantes, mas tem os pés no chão e entra para a faculdade como qualquer outro depois do High School, porém seu irmão Mason Jr. é ligado à arte, e não tem afinidade com estudos, porém sua paixão por fotografia faz com que ganhe um premio de segundo lugar e uma bolsa de estudos onde finalmente, encontra um rumo para sua vida. Os caminhos de Olivia e Mason ganham sentido durante todo o longa, que você só vai saber assistindo.

 

Boyhood não conta uma historia inédita, muito menos conta uma historia que seja diferente da sua vida, isso pode se tornar chato ao decorrer do filme, porque estamos buscando um filme que nos mostre coisas diferentes, e não o que já vivemos no cotidiano, sem falar que o papal da Patricia Arquette, parece ser mais forte do que o próprio Ellar Coltrane, em contrapartida as coisas comuns mostram a evolução que vivemos, desda escolha da trilha sonora que acompanha o ano que está se passando á evolução tecnológica, você vai ver videogames e vai dizer "Ei, eu conheço esse console". Boyhood foi um filme que ficou só nas minhas expectativas e não passou disso. Para minimizar os efeitos maléficos dessa resenha, pode levar em consideração Boyhood como um documentário de vidas de pessoas comuns, fazendo coisas comuns.

  1. Aah eu gostei tanto desse filme.
    Acho que foi legal ficou justamente por conta da simplicidade. A história é muito trivial. Mas o que eu acho que causou mais decepção nas pessoas, além da atuação fraca de muitos personagens, foi justamente ter sido muito simples. Como levou 13 anos para ser feito, todo mundo esperava algo mais "Uau", algo que fizesse chorar, sei lá hehe.
    Beijos!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Exato Jessica!

      Quero coisas extraordinárias acontecendo sempre rsrs

      Delete
  2. Eu ainda não o assisti, mas estou com muita vontade, claro, depois que recebeu tantas indicações pro Oscar. Realmente, dá muita curiosidade dizer o filme foi gravada em 13 anos, quero ver, e gostei das suas opiniões.

    http://www.acessopermitido.com/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigado Elcimar,

      Assista sim, de repente o filme te toque de outra maneira.

      Delete
  3. Bruno,
    Tenho que confessar que eu não estou muito animado para ver este filme, por mais que ele tenha demorado mais tempo que a vida de um cachorro para ser feito, tem tanta gente falando que os atores são fracos e blá blá blá.... me da preguiça.
    Parabéns pelo texto.
    www.pontoparaler.com.br

    ReplyDelete
    Replies
    1. Quando eu ouvir falar desse filme fiquei super empolgado, pelo jeito se nem isso te empolgou, o longa vai de empolgar menos ainda Hahaha

      Obrigado Paulo!

      Delete
  4. Brunno, assim como você, quando eu vi que o filme levou 13 anos para ser feito também fiquei muito curiosa e até pensando "mas gente, isso tudo?", fora isso a sinopse não me chamou a atenção e pela sua resenha, já vi que não vou gostar kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Dificilmente gosto de documentários kkk

    Bjin da B

    ReplyDelete
    Replies
    1. Realmente B, é complicado um filme assim né? infelizmente, mas existe quem goste!

      Beijãooo

      Delete
  5. Ainda me arrependo tanto de ter visto esse filme no mês passado. Assim como você, tinha grandes expectativas pois é considerável o número absurdo de elogias que academia de cinematografia faz a esse filme. O resultado não foi um dos melhores após ver essa película, odiei completamente a produção por falar algo totalmente do nosso cotidiano, nada fugindo dos padrões. No entanto, algumas cenas eram realmente muito boas (principalmente da infância) quando o protagonista raspa o cabelo e quando ele passa um período só com o pai dele. Em geral, gostei muito pouco desse filme, prefiro mais Birdman devido a história um depressiva do ator rs.
    Bom comentário sobre o filme por sinal! Abraços.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Lucas! Obrigado pelo comentário.

      Acho que tivemos a mesmo impressão do filme, claro que teve cenas emocionantes (Até uma que me fez quase chorar, mas é pessoal de mais, aposto que passaria batido por outras pessoas), mas enfim... E sobre Birdman, eu tentei assistir, mas essa coisa de gravar tudo em uma só cena não conseguiu fazer eu terminar de ver o filme hahaha

      Abraço!

      Delete
  6. Esse foi o filme que foi indicado para várias categorias do oscar, não é? Eu estava com muita expectativa de ser um super filme mas vi muita gente falando mal e desisti de assistir. Os comentários eram do tipo: 13 anos para isso? E poxa, imagina só se dedicar TREZE fuckings anos para no final o filme ser uma merda? Desculpa a palavra, hahaha.

    Beijos!
    http://www.prateleiracolorida.com.br/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Está desculpada Bea! hahaha Mas só desculpo porque eu comentaria o mesmo hihih

      Beijão!

      Delete