Resenha: "O Oceano no Fim do Caminho", de Neil Gaiman

17 Mar 2015

Neil Gaiman
Editora Intrínseca
208 páginas
Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos. Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino. Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.

Alguém se lembra do alvoroço que aconteceu há alguns anos atrás de por causa do novo lançamento do Neil Gaiman? Ainda me lembro de quantas resenhas eu li e quantas vezes quis comprar esse livro/ mas nunca fiz, o motivo? Não sei e somente alguns dias atrás descobri quanto tempo fiquei sem ler essa preciosidade chamada "O Oceano no Fim do Caminho". 

A história começada com nosso protagonista, aos quarentão, retoma o caminho à sua cidade natal depois de muito tempo para um funeral, após tal ocasião, ele decide retomar um caminho que ele já conhecia bem e visitar a casa onde passou parte da sua infância; muitas lembranças e memórias parcialmente esquecidas vêem à tona.  Era no final da rua, na fazenda Hempstock, sua única e melhor amiga morava, a doce Lettie Hempstock, o afugentou em meio a toda a tristeza e caos que o menino-protagonista sentia; ao entrar na fazenda, ele lembra do lago atrás da casa, no fim do caminho, que Lettie um dia tinha convencido ser um Oceano


Após o ligeiro prólogo, o livro se dedica ao tempo que o nosso protagonista viveu quanto tinha sete anos de idade, quando era apenas um menino levado, introspectivo e solitário. Para ocupar a solidão  de morar numa casa grande no campo e não ter  ninguém para brincar logo se apaixonou pelos livros, apesar de ter uma irmã e seus pais, não recebia tanta atenção quanto queria, se é quando recebia; a vida do menino realmente começou a mudar quando as dificuldades financeiras aumentaram, seus pais resolveram alugar seu quarto para um estranho, o minerador de opala, esse acaba se suicidando no carro dos pais algum tempo depois. É neste meio tempo que o protagonista encontra refúgio na fazenda Hempstock e em Lettie. 

A peculiar fazenda das Hempstock é rodeada de coisas misteriosas e extraordinárias, mas após erros do jovem; Ursula Mokton entra na sua vida, contrata inicialmente como baba: adorável a todos, mas perversa e maligna com o jovem, ele tentará escapar das garras da incrível, jovem e amável Ursula juntamente com Lettie, mas não será nada fácil, não quando essa tem dons, digamos, especiais.  


Ficção e realidade se fundem aqui, Gaiman, ressalta uma história com experiência altamente crível, ainda que, no entanto, fantasiosa. A fábula oferece uma válvula de escape para uma fantasia, quando o jovem está passando por sérios problemas pessoais, me faz lembrar da minha infância, o quanto eu inventa cenas e as cenas fantasiosas que criei. De fato, é chega a ser acreditável, em certo momento, que tudo o que acontece neste livro é real, seria este a causa de se misturar tanto com a realidade? 

Com o intuito de jogar o leitor o máximo dentro da trama, Gaiman não dá nome ao protagonista, gerando uma imersão a história; apresenta os sentimentos do personagem principal, e faz com que fiquemos o tempo todo querendo ajuda-lo, o que é literalmente impossível, além de ser uma leitura bem fluída, o livro é escrito de um modo muito claro e objetivo, sem parafrasear, Neil Gaiman apresenta uma narrativa assustadora e cheia de suspense. 


O melhor de tudo, mais uma vez, são os personagens. Temos uma tríade de personagens, Lettie, Ursula e o próprio protagonista, esse são se não os mais importantes; Vamos morrer de amores por Lettie, torcer pelo protagonista e desejar tudo de ruim para a Ursula. Porém, agora, ao resenha este livro, percebo a inocência, causas e medos; percebo que existe uma verdadeira causa para tudo, que a busca de realidade sempre irá se misturar com a fantasia, pois esta é a nossa válvula de escape.

Em suma, o livro em poucas páginas fala de tanta coisa, milhares de pontas soltas ficam sem serem explicadas e não há previsão que,  e talvez nunca, seja lançado um livro para complementar esse. Mas não poderia ser diferente, um final glorioso, porém brusco que dá fim a um história delicada, No fim do caminho... eu recomendo esse livro para tudo e todos; sou megamente agradecido por ter conhecido essa história e ter esse livro na minha estante. 

Obrigado meu amor. 

2 comments:

  1. Nossa que resenha maravilhosa! Amei. O livro parece ser muito bom, fiquei extremamente curiosa. As suas fotos ficaram perfeitas, preciso de umas dicas rsrs

    Vanessa | Blog Closet de Livros

    ReplyDelete
  2. Esse livro, é simplesmente uma coisa de doido! Medo de ler outras coisas do autor e expectativas serem destruídas em pedacinhos.

    Por nada, meu amor!
    Parabéns <3

    ReplyDelete