Resenha: “A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra”, de Robin Sloan

Robin Sloan
Editora Novo Conceito
288 páginas
A recessão econômica obriga Clay Jannon, um web-designer desempregado, a aceitar trabalho em uma livraria 24 horas. A livraria do Mr. Penumbra — um homenzinho estranho com cara de gnomo.

Tão singular quanto seu proprietário é a livraria onde só um pequeno grupo de clientes aparece. E sempre que aparece é para se enfurnar, junto do proprietário, nos cantos mais obscuros da loja, e apreciar um misterioso conjunto de livros a que Clay Jannon foi proibido de ler. Mas Jannon é curioso…

"A livraria 24 horas do Mr. Penumbra" chama atenção de longe, todo bom leitor fica logo com vontade de ler, só pelo fato da história se passar dentro de uma (aplausos) livraria, mas não é somente isso, a capa um pouco assustadora, deixa o leitor ainda mais expectativo com a história e com os personagens que envolvem esta, o mesmo aconteceu comigo: senti uma vontade enorme em ler algo escrito dentro de um dos melhores ambientes do mundo, e não me arrependo da leitura em momento algum, mas também afirmo, que não foi totalmente a leitura que eu esperava. 

A história é bastante simples, o webdesinger Clay Jannon, precisa de um emprego e não importa onde, ele tem que pagar as suas contas. Quando a livraria do Mr. Penumbra dá o emprego a Jannon ele aceita, sem dúvidas e receios, pois ele precisa do dinheiro. A livraria pequena e escura é frequentada por diversos tipos de clientes, em sua maioria, clientes estranha e esquisita, todas geralmente empenhadas em decifrar um enigma. Com todo o reboliço e coisa estranha acontecendo, pegamos Clay Jannon resolvendo investigar o que acontece por trás da livraria e o que o Mr. Penumbra e a clientela estão armando. 

"Com as duas mãos, faço bastante força e levanto a tampa da caixa. Ela é dividida em compartimentos, alguns compridos, outros largos, uns perfeitamente quadrados. Todos guardam pilhas rasas de tipos de metal: letras pequenas e sólidas em 3-D, do tipo que você alinha em uma impressora para formar palavras e parágrafos e páginas e livros. E, de repente, me dou conta do que é aquilo. "
Os personagens, em suma, são carismáticos e a narrativa flui facilmente - todos são bem escritos e chamam uma atenção singular. Temos várias referencias a nossa atualidade, é um livro mostra equipamentos, programas, marcas, lugares e muitas coisas coisas - isso é uma coisa a destacar, pois dão uma característica diferente ao livro, e fazem o leitor indagar sobre o livro, seria real isso tudo? 

O livro narrado em primeira pessoa, mostra como a vida de Clay mudando após entrar na livraria, através dos olhos de Clay observamos o mistério que está se desenvolvendo durantes as páginas, porém o livro ficou cada vez mais corrido e deixando uma conclusão inconclusa.  É uma leitura leve, e não possui uma história incrível, mas que rende boas horas de diversão. 

  1. Que mágico! *-* Fiquei com muita muita muita vontade de ler esse, deve ser um amor <3
    Beijão, Unsaid Things

    ReplyDelete
  2. Nossa!
    A história deve ser muito digna de uma boa apreciação!
    Imagine, uma história se passando dentro de uma biblioteca?!
    Curti,

    Abraços,
    www.ps-carpediem.blogspot.com/

    ReplyDelete
  3. Gostei do livro, aprece que é bom.

    ReplyDelete
  4. A Helkem leu esse livro e adorou! (tem resenha no meu blog). Eu fiquei com vontade de ler também, mas as coisas do blog me impedem de ler por enquanto.

    Parabéns pela resenha \0

    Academia Literária DF

    ReplyDelete