Resenha: "Dias melhores virão", de Jennifer Weiner

Jennifer Weiner
Editora Novo Conceito
400 páginas
Quando Ruth Saunders recebeu o telefonema de uma rede de televisão dizendo que sua série original seria levada ao ar, ela quase não acreditou. Embora tivesse passado a vida escrevendo, não pensava seriamente que seu roteiro (autobiográfico!) sobre uma mulher jovem, com excesso de peso, que vivia com a avó, e que decidira se mudar para Miami para fazer fortuna, pudesse ser realmente interessante para alguém. Tudo o que ela queria era ver sua série entre os comentários do público e das revistas especializadas, mas Ruth foi acordada bem depressa de seu sonho... Atores de cabeça vazia e ego inflado, e burocratas da emissora transformaram seu roteiro para atender a múltiplos interesses... Todo o esquema criado para se colocar uma série no ar é, ironicamente, narrado por Jennifer Weiner, ela mesma uma veterana da TV. As esperanças de Ruth são sistematicamente frustradas: os acionistas da rede insistem em uma revisão sem sentido, sua personagem principal, uma mulher cheia de curvas, passa a ser quase anoréxica, e a avó, Nana, de mulher madura e sofisticada passa a uma ninfomaníaca da terceira idade. Divirta-se com a escrita espirituosa e cativante de Jennifer Weiner e sua deliciosa capacidade de fazer valer, em cada um de seus livros, os sentimentos de todas as mulheres.

Ruth Saunders sofreu um acidente quando era criança, perdeu os pais e foi obrigada a morar com a avó. Após o acidente, quando ainda criança sua face ficou totalmente deformada de um lado, além de vários problemas por todo o corpo, necessitando de várias cirurgias. Ruth cresceu no meio de seriados americanos, desde pequena assistia com sua avó todos os dias. Ao terminar a faculdade, nossa protagonista decide realizar seus grandes sonhos: Ruth descobre sua paixão pela escrita e isso proporciona algo que a faz seguir em frente, poder escrever uma série sobre a sua vida, com uma personagem inspirada nela mesma. Em Hollywood, Ruth consegue então ser contratada para ser roteirista da sua própria série. Porém ela nunca teve contanto amoroso com algum cara sequer, ela passará por uns mal bocados, mas acaba amadurecendo em relação à isso, logo, sua vida irá melhorar. Se vai. 
“Não era perfeito, é claro – o programa não era o que eu queria, e podia ser cancelado, amanhã Dave podia me dispensar em troca de uma modelo mais quente e mais jovem -, mas, como dizia Dave, você não consegue ‘perfeição’ na vida. E, salvo a perfeição, o que eu sei, para usar o ditado, é que dias melhores virão.”
Dias Melhores Virão explora um mundo desconhecido para nós: revelando a realidade por trás daquelas séries maravilhosas que assistimos todos os dias, e não é nada fácil. Ruth terá que ralar para se destacar. Mostra também uma personagem, que o acaso foi contra ela, mas cabe a própria Ruth ter que lidar com tudo o que acontece a sua volta, a sua beleza é desfavorável, mas ela irá provar que não precisa somente dela para poder tonar tudo tão real. 
“Naquela terra feliz, nem todos eram belos, jovens ou perfeitos. Nem todos tinham amores românticos. Mas todos tinham amigos, uma família que haviam escolhido. Era o amor que as sustentava, e esse amor, eu imaginava, podia também me sustentar. Isso era televisão para mim, o sonho de um mundo perfeito, no qual eu cabia, ao qual eu pertencia.”
A história de Jennifer Weiner é admirável, mas não encanta totalmente o leitor assim: tem horas que o livro fica chato e cansativo, algumas horas o livro muda e fica bom. A escrita, sim, sem dúvidas, é algo de se admirar: uma escrita muito fácil, que mostra a realidade (pelo menos eu acho que mostra) no mundo famoso, talvez esse livro seja um pouco de crítica a toda aquela classe blaze e metida dos hollywoodianos, não é uma leitura altamente recomendável, mas sim, é um livro com bastante entretenimento. 

_DEIXE UM COMENTÁRIO

Post a Comment