Resenha: "O Restaurante no Fim do Universo", de Douglas Adams

Douglas Adams
Trilogia: O Guia do Mochileiro da Galáxia, livro 02
Editora Arqueiro
229 páginas
O que você pretende fazer quando chegar ao Restaurante do Fim do Universo? Devorar o suculento bife de um boi que se oferece como jantar ou apenas se embriagar com a poderosa Dinamite Pangaláctica, assistindo de camarote ao momento em que tudo se acaba numa explosão fatal? A continuação das incríveis aventuras de Arthur Dent e seus quatro amigos através da Galáxia começa a bordo da nave Coração de Ouro, rumo ao restaurante mais próximo. Mal sabem eles que farão uma viagem no tempo, cujo desfecho será simplesmente incrível.

O Restaurante no fim do Universo é o segundo livro da trilogia de cinco escrita pelo famoso Douglas Adam. O livro continua a aventura dos nossos personagens em busca do sentido disso tudo, a origem e calcular de uma vez por todas a resposta à questão fundamental da vida, do universo e tudo mais. A nave Coração de Ouro está sendo perseguida pelos Vogons, estes últimos estão afim exterminar o que sobrou da Terra: Artur e Trillian, ambos humanos que fugiram da Terra antes que ela explodisse em milhões de pedacinhos.

Nessa aventura, Zaphod e seus amigos intergalácticos estão morrendo de fome e decidem parar em algum restaurante, obviamente, e não poderia ser outro, é o restaurante no fim do universo - realmente no fim do universo; é um restaurante atemporal, ou seja, não é onde e sim quando encontra-lo: para ir ao restaurante você deve viajar no tempo e ir para o futuro, quando isso, ao estar comendo e bebendo sua comida alienígena você pode muito bem morrer, afinal, o fim do universo está para acontecer. 
Existe uma teoria que diz que, se um dia alguém descobrir exatamente par a que serve o Universo e por que ele está aqui, ele desaparecerá instantaneamente e será substituído por algo ainda mais estranho e inexplicável.
Eu tive um pouco de dificuldade com a leitura deste exemplar: em alguns momentos o autor não hesita em deixar o leitor perdido e por mais que você releia, ainda continua um pouco perdido, muitas vezes você acaba se perdendo e depois volta a entender tudo - chega até ser engraçado, mas ao mesmo tempo não muito legal: porque em momentos eu tava lendo e me perguntava "como cheguei até aqui de uma página para outra". Já havia sentido essa loucura, se assim posso chamar, no primeiro livro, então, talvez, essa seja a forma da série ser lida. 

O livro continua abusando da ironia e alusões a coisas da nossa sociedade, seja criticando ou mostrando as manias do homem. Sem dúvidas, é um livro divertido e perturbado, que prende o leitor nas páginas, mas que também deixa confuso em muitas horas. Os personagens ganham ainda mais cena, alguns acabam ganhando mais e outros ficando mais afastados - creio que essa seja  uma maneira de Adams expor todos os personagens, um de cada vez. 

Acho engraçado essa série. Quando li O Guia do Mochileiro da Galáxia eu ia desanimando no meio do livro, ficava perdido toda hora e às vezes não entendia quase nada, mas a leitura foi chegando ao fim e foi ficando boa; o mesmo acontece com O Restaurante no Fim do Universo por horas fiquei desanimado com a série, mas ao terminar, saberia que teria que ler o próximo e saber o que acontece com esses personagens e não somente com eles, mas com tudo. 

_DEIXE UM COMENTÁRIO

  1. ainda vou ver o mochileiro das galaxias, mas queria comprar o box todo luanna-porto.blogspot.com.br

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Luana, seja bem vinda!

      Recomendo você comprar apenas um livro, ou ler um pouco antes de comprar. O fato é que esse livro não agrada muitos leitores, a narrativa cientifica e louca pode te deixar entendiada, mas isso não aconteceu comigo, adorei.

      Delete
  2. Eu adorei a série! Li ávidamente os três no mesmo dia!
    Não sei se foi o cansaço, mas senti que a qualidade foi diminuindo um pouco. O primeiro é maravilhoso, cheio de sarcasmos e ironias geniais, críticas pontuais (que continuam super válidas e atuais) à nossa sociedade, e tudo com um bom humor incrível. Nos outros, essas características foram diminuindo, ficando apenas a ficção científica, que é maravilhosa, claro.

    Boa resenha!
    Beijos,
    Helô, do Vestido do dia

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Hêlo, primeiramente, seja bem vida!

      Acredita que eu percebi a mesma coisa que você? O livro foi deixando de ser tão engraçado, e sim mais sério cientificamente, estou gostando bastante e logo devo começar a ler o terceiro livro, gosto muito de autores que tem criticas quanto à sociedade!

      Delete