Resenha: "O Guia do Mochileiro da Galáxias", de Douglas Adams

Douglas Adams
O guia do Mochileiro das Galáxias, volume 1.
Editora Arqueiro
203 páginas
★★★★

leia a sinopse

O primeiro volume da clássica série "O guia do mochileiro das Galáxias", eu já havia começado a ler um tempo atrás e por ignorância abandonei a leitura ainda nos primeiro capítulos. Por sempre ficar com peso na consciência por abandonar algum livro, esse ano decide dar uma chance e o resultado não poderia ser outro, adorei o livro - o que eu achava tão complexo ou o fato de ter tantos nomes estranhos, logo foram ficando compreensíveis e fáceis de se ler. 

O Guia do Mochileiro das Galáxias foi escrito pelo inglês Douglas Adam, por volta dos anos 70. A história que começou a ser contada em seu programa de rádio, ganha o leitor de uma forma simples e rápida. A leitura é fácil - antes não era, hoje é -, inteligente e cheia de humor sarcástico e também com variações irônicas. Adams ainda desmascara o homem - quando ao seu modo de agir sobre as dificuldades e suas complicações em assuntos tão banais. Além da diversão cientifica proposta pelo autor, o leitor acaba encontrando muitas criticas a sociedade, o funcionamento das coisas ao nosso redor. 
Os homens sempre se consideraram mais inteligentes que os golfinhos, porque haviam criado tanta coisa – a roda, NY, as guerras, etc – enquanto os golfinhos só sabiam nadar e se divertir. Porém, os golfinhos, por sua vez, sempre se acharam muito mais inteligentes que os homens exatamente pelos mesmos motivos.”
A trilogia de cinco, começa quando Arther Dent acorda com barulhos e descobre que sua casa vai ser demolida por ela está no meio de uma nova estrada, como se não bastasse perder sua casa, ele também descobre que seu amigo Ford Prefect é um alienígena que  viajada pela galáxia para ajudar a atualizar "Guia dos Mochileiro das Galáxias"; e para ficar pior ainda, descobre que não é somente a sua casa que será demolida, mas toda a Terra. Em minutos eles estão fora do mapa terrestre, se refugiando em naves inimigas, até que caem de frente com a nave revolucionária Coração de outro, que foi roubada pelo presidente da Galáxia Zaphod Beeblebrox, ainda encontramos a maravilhosa terráquea Trícia McMillan e um robô deprimido que briga com portas, Marvin.

O livro trabalha muito com coincidências e deixa óbvio, pela improbabilidade infinita algumas coisas poderiam ser impossíveis de acontecer. O Guia do Mochileiro das Galáxias é essencialmente o que o próprio nome diz — um guia que contém todas as coisas que você precisa bar. Sendo necessário para aqueles que viajam rumo a fora na galáxia.  O livro a partir de certo ponto passa a buscar uma resposta para as perguntas mais difíceis, mas que lidamos todos os dias com elas: "qual o sentindo da vida? Quem criou o universo? Deus existe?" - o livro não busca discutir ou falar de modo grosseiro as perguntas, afinal, ainda deparamos com a procura das repostas. 

Os personagens são destacáveis logo de primeira, criados de diálogos interessantes e criativos. Fazendo total jus ao humor, a inocência e também para as coisas não tão inocentes assim. Arthur Dent está completamente perdido no espaço, mas logo descobrirá todos os segredos do universo (ou não). 

Em suma, é um livro constituído de política, humor, sátiras, por trás de toda a ficção cientifica - recebemos críticas ao governo, ao homem de forma bruta e, como já dito, todas as atitudes que raça homo sapiens.Uma leitura indicada por sua inteligência e por sua originalidade, não é uma obra difícil de ser lida, apesar dos termos técnicos-científicos. 

Post a Comment