6.10.14

Resenha: "A Árvore de Strangeville" de Camilla Sá

Camilla Sá
Editora Gregory
398 páginas
★★★★★

O único sonho de Caroline era ter uma vida normal: morar em uma casa fixa, fazer amigos que durem e ser popular. Mas, sempre que se muda, ela precisa começar tudo de novo. E Caroline não é muito boa nesses “novos começos”. Até se mudar para Strangeville. Lá, onde tudo parece ser diferente, é o lugar em que se encontra a Árvore de Strangeville, o elo mágico que separa o mundo real do da fantasia. Não só sua nova cidade, mas também sua vida muda drasticamente a partir de então. Suas preocupações deixam de ser um lugar para morar e se tornam algo muito maior, como salvar não somente um, mas dois mundos! Com a ajuda de Arthur e Bree, ela terá que enfrentar várias criaturas, esforçar-se para impedir que Klaus domine os mundos e assim cumprir sua missão de retornar tudo ao seu devido lugar. Uma história de aventura que faz com que você cruze a fronteira da árvore.

Caroline, ou melhor Millie, somente que ter um lugar fixo para morar, construir uma vida com amigos e não ter que abandonar tudo quando está se acostumando com as pessoas, o lugar, a escola... Até que na sua última mudança ela vai parar na cidadezinha pacata de Strangeville - onde todo mundo faz fofoca e acredita em seres mágicos. A nova escola parece ser um sonho para Millie, afinal, ela pode recomeçar tudo de uma forma diferente e ser do grupo dos descolados. Strangeville, para Millie, é como voltar para casa (sendo o lugar onde a protagonista e onde, infelizmente, a sua mãe desaparece). 

Quando Millie encontra uma árvore atípica de tudo o que já viu, coisas estranham começam acontecer, como por exemplo, aparições de vultos e outras coisas. Mas sua realmente muda quando a misteriosa árvore é derrubada:  sendo está uma ponte de equilíbrio entre a Terra e um outro mundo. Millie ao encontrar um pulseira que dá poderes, ela terá que aguentar os desafios que serão propostos, aprender as magias que a pulseira contém e lutar contra um ser poderosíssimo e malévolo. 

"As casinhas de madeira ou tijolos, a igreja, o parque bem simples, a escola tradicional, tudo é muito parecido com aquelas histórias de contos de fadas. Chega a ser fofo"
Para mim, o livro poderia ser escrito em uma série: Camilla Sá desenvolve uma trama muito criativa, um mundo inovador e cheio de seres sobrenaturais espetaculares - fadas, sereias, elfos, animagos entre muitos outros -, porém o livro é pouco desenvolvido, autora despenca em cima do leitor um vasto universo (que levaria uns dois livros para ser realmente explicado). Quando falo um universo gigantesco, é um universo gigantesco que levaria muito tempo para ser escrito ou renderia muitas páginas para outros volumes, cujo não deveria ser jogado nos ombros do leitor de uma forma tão rápida, dessa forma perdemos qualidade à cada reino que vamos: os treinamentos de Millie poderiam ser bem mais duradouros e mais emocionantes. Ainda observamos a escrita infantil da autora, o livro escrito por volta dos 14 anos de Camilla, logo, lidamos com muita coisa repetitiva, uma escrita ainda imatura e óbvia - o que deixa o livro com notas baixas ali em cima. 

Millie, a personagem principal, às vezes não enxerga o perceptível e apesar de ser apaticamente criança, ela amadurece no decorrer das quatrocentas páginas. "A Árvore de Strangeville" usa bastante valores que realmente de destacam na missão da jovem: a busca por coragem, esperança, confiança, força de vontade entre muitas que são necessários não somente para Millie, mas para qualquer ser humano. 

Em suma, apesar dos seus vários pontos negativos a leitura é fácil e rápida, fazendo o uso de uma linguagem em primeira pessoa. Mostrando o valores que cada um tem que buscar, seja ser mágico ou apenas humano. Uma história incrível e clichê, mas pouca desenvolvida (mas espero que a autora, construa uma série, porque sem dúvidas eu leria). 

2 comentários

  1. Olá Igor!
    Adorei a resenha, e senti o mesmo que você, a Camilla nos apresentou um mundo maravilhoso mas nãto senti que a trama se desenvolveu bem, achei tudo "mágico " demais :/
    Mas no geral foi uma boa leitura, e gostei da ideia de ser uma série de livros, seria uma boa mesmo! :D
    Beijos
    tamigarotaindecisa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Pela resenha, não sei se concordo ou descordo de você...
    Entendo o posicionamento do seu argumento: um vasto universo despejado como uma bomba é demais para a cabeça de um leitor...Mas por outro lado, é tão à tipico atualmente encontrarmos livros sobrenaturais avulsos, que não façam parte de uma série, que eu realmente sinto falta de concluir uma estória em apenas um volume. Claro que se o livro deixar nichos e não tiver uma continuação, isso é no mínimo desmotivador, mas como acho que não ocorreu isso (ou pelo menos você não deu à entender), acho que curtiria a leitura.
    De qualquer forma, ótima resenha. Parabéns! ^^

    http://garotaezine.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

© setecoisas.com.