Resenha: "Incendeia-me" de Tahereh Mafi

Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito, 2014
Páginas: 385
Série: Estilhaça-me, volume 03.
Avaliação: ★★★★★
"O medo vai aprender a me temer." 
Acabou.
Simplesmente
A c a b o u

Me sinto quebrado por dentro, eu esperava uma coisa e o livro foi muito mais do que eu esperava. Tahereh Mafi é uma das minhas autores preferidas, eu não consigo suportar a dor de saber que essa série tão espetacular acabou. Após a leitura de Fragmenta-me estava mais na hora de saber o que aconteceria com esses personagens tão carismáticos e cheios de si. E juro para você, mesmo lutando contra expectativas exacerbadas, eu não sabia o que esperar do final da série e muito menos se eu ia ter meu coração partido (visto que é isso o que acontece, geralmente, com o último livro de uma série ou trilogia). Fiquei com muito medo de ser decepcionado e ao mesmo tempo fiquei despreocupado com o fato de não gostar do livro, afinal, desde o primeiro livro que sou apaixonado por esses personagens e pela a escrita da autora, totalmente inovada e diferenciada.

Incedeia-me começa com o destino do Ponto Ômega totalmente destruído, Juliette descobre através de Wanner que todo seu mundo e sua luta foram em vão, e supostamente seus amigos estão mortos. Juliette não perde a esperança esperança de se vingar e destruir de vez o Restabelecimento e o homem que a quase matou. Porém a única pessoa em que Juliette pode confiar é em Warner. Warner talvez não seja quem sempre achamos que ele fosse, assim como Adam talvez não seja quem ele sempre demonstrou desde o primeiro livro. Personagens secundários irão roubar a cena e deixar tudo um pouco mais engraçado, ainda que não tenha como rir. E nessa busca, Juliette terá que enfrentar seus próprios medos e terá que tomar escolha que partirá corações. 
"Por muitos anos, vivi em constate terror comigo mesma. A dúvida tinha se casado com meu medo e se mudado para minha mente, onde construiu castelos e governos reinou e mandou em mim, subjugando minha vontade a seus sussurros até eu ser pouco mais do que um peão obediente, muito aterrorizada para desobedecer, muito aterrorizada para discordar"
Acho engraçado essa série: ela cresce e melhora gradativamente, tanto na ação quanto na sanidade mental de Juliette. Em Estilhaça-me encontramos uma personagem totalmente louca (tanto na escrita quanto nas ações e pensamentos da gatora), a autora escrevia sem pontos, sem virgulas e abusa do taxado. Já me Liberta-me a autora ainda escrevia desse modo, mas foi diminuindo com o passar das folhas, como se Juliette estivesse voltando ao normal e "deixado" de ser "louca". Mas foi em Incendia-me que percebi esse jogo da autora em proporcionar um crescimento da personagem durante os três livros da série. Além do crescimento da série em si, Tahereh Mafi propõe o desenvolvimento tanto de Juliette quanto de outros personagens — Warner, Adam, Kenji...

Mafi escreveu com maestria toda a sua série, chegou para ficar no campo literário, com a sua primeira série de tirar o fôlego. A autora transbordar criatividade e transporta de uma forma prática, fácil todo o seu mundo (o mundo de Juliette) para a cabeça do leitor, sua escrita prende o leitor de uma forma intensa e gradativa. E arrisco dizer: qualquer livro da Mafi eu leio, por eu simplesmente amar sua narrativa e a forma que ela escreve.

Poucas pessoas gostam do final interminável da série, acho que apesar da autora não colocar "e viveram felizes para sempre" ela deixou aí, expectativas para um futuro, e sabendo que não haverá mais nenhum livro (nem um conto, nada), cabe ao leitor escolher seu próprio final. É fabuloso e engenhoso a forma que tudo acontece durante a série, de como o final tira fôlego e deixa o leitor satisfeito e ao mesmo tempo insatisfeito, mas para o fã da série, acho que o final não poderia ser outro, apesar de querer mais, eu compreendo e assino em baixo que a história tinha que acabar dessa forma, porque sim. 

Confira toda a série

_DEIXE UM COMENTÁRIO

Post a Comment