// 27 Jun 2014

Supostamente, enjoei de mim


Não é normal dizer que estou enjoado de mim, quero dizer, não é normal ninguém dizer que está enjoado de si mesmo. Mas e quando a gente só faz mesmice? Quando a gente quer mudar de um jeito que nem mesmo compreendemos? É estranho, eu nem sei explicar. É um choque quando a gente esquece quem é, e quer viver um novo alguém. Não que eu queira esquecer quem eu era, não que eu vá deixar der ser quem eu era completamente, mas... eu enjoei de mim

E eu simplesmente posso enjoar de mim, e você pode enjoar de mim ou de você mesmo. Porque, pense bem, qual a seria a graça se eu fosse sempre eu e, você sempre você? Qual a graça de ser sempre de um jeito, se você pode viver de um bilhão de jeitos. E isso é bem legal, porque você pode encontrar um jeito ou uma maneira de viver feliz ou triste, sorrindo ou chorando. Um bilhão é pouco, talvez um ziglhão de jeitos seja o que eu preciso (que você precise). Eu sou assim, eu mudo constantemente, mas eu sei que eu sou eu, mesmo quando eu acho que eu sou outra pessoa. E quando as pessoas acham que eu sou outro alguém, eu sou eu, e elas gostam de mim dessa forma, inconstante, sem sentindo, sem jeito ou cheio de jeitos. 

Não precisa fazer sentindo. Desde quando a vida fez? O homem constrói, mas ele mesmo se destrói. Então, se um dia estou vestido de um jeito muleke-doido e no outro como um nerd, não tente entender, só me abraça e diz que me aceita. Porque eu sou estranho, tu és estranho, ele é estranho, o mundo é estranho. E eu já tentei compreender o sentindo disso tudo: nunca encontrei nada palpável ou que tivesse algum nexo. 

Gosto dessa incomplexidade que eu mesmo crio, que eu mesmo constituo e que eu mesmo morro nela. 

E aí, eu paro de enjoar de mim, porque eu posso ser um bilhão de pessoas, mas mesmo eu sendo um bilhão de pessoas, eu vou continuar sendo eu e, as pessoas vão me amar de várias formas e de várias intensidades, porque mesmo eu não querendo ser eu, eu vou ser eu e ponto final. 

  1. Amei... veja: http://aprendendocuriosamente.blogspot.com.br/2014/06/melhor-ser-real-inventar-uma-vida.html#more
    Beijos!!! :D

    ReplyDelete
  2. Igor, você escreve muito bem. Queria te dizer que é normal passar por estes sentimentos. São fases da vida sabe? Você está se descobrindo e isto não é fácil, mas sei que vai tirar de letra porque és um menino brilhante. E pessoas brilhantes sabem conquistar seu futuro <3

    ReplyDelete