9.6.14

Sunsets: eu e os outros


Eu escuto murmúrios. O vento sopra devagar, mas as ventanias que se formam na minha cabeça são "triplicamente" mais intensas. As correntezas que me levam não precisam ser de águas, pois elas não são. Não adianta eu ficar parado, eu nunca vou estar, nunca terá como parar. Então é assim? Em pleno movimento. Em pura adrenalina. Na ânsia de querer mais, de querer o impossível. Construindo e desconstruindo o próprio cerne. Com os olhos brilhando intensos, não só os olhos, o coração também. Eu escuto as pessoas respirarem, eu escuto sorrisos sem graça. Eu sou complicado, eu sou engraçado, até rio de mim mesmo.

Crio um mapa para as pessoas se aproximarem de mim. Às vezes só jogo esse mapa para os cafudéu e deixa rolar, dar no que dá. Eu gosto de ser metódico, ter horários marcados, dias certos na minha agenda. Mas se não fosse pela responsabilidade eu já teria colocado fogo nela. Eu gosto mesmo é de me surpreender, de chegar sem pensar, é aquela história. Não tem época, minuto ou momento para ser feliz. Você pode estar feliz agora e daqui a pouco desabando em lágrimas. Então é agora. 

Me arrepio, fico sem graça, fico vermelho. Desvio o olhar. Pode ser medo, pode ser medo. Mas quem se importa? Mas quem nota? Então eu repito: é  agora. A hora de enfrentar os desafios, as lembranças ruins, os trilhos estilhaçados. E é aí, da parte que você deixou intacta, dá parte que você quis guardar e nunca mais mexer para não sofrer, é aí que vocêtem que mudar. Construir algo que te deixe e te faça feliz o (mais que)  suficiente para esquecer tudo e passar por barreiras sem sentir um estalo, não se importar com os abalos, não deixar cair lágrimas. 

E talvez você não precise fazer tudo certo. Ser corretamente correto para agradar alguém. Tentar ser perfeito para alguém. Porque as pessoas vão gostar de você... da.. forma que você é, complicado ou não, ela ou ele vai querer te ajudar, vai te completar. Porque não existe uma forma de você melhor para você se sentir bem do que sendo você mesmo. Sendo só você mesmo. 

Um comentário

  1. Quer saber? A hora é realmente agora. Esse negócio de deixar de fazer porque alguém vai falar só atrapalha. Tem que fazer o que for necessário e viver de verdade. Amei a mensagem! Bom 'feriadão" Beijos
    Ivia Teixeira
    aprendendocuriosamente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

© setecoisas.com.