17.6.14

Resenha: "Colin Fischer" de Ashley Edward Miller e Zack Stentz

Autores: Ashley Edward Miller e Zack Stentz
Editora: Novo Conceito, 2014
Páginas: 176
Avaliação: ★★★★★


Colin tem Síndrome de Asperger, é um transtorno do espectro autista, diferencia-se do autismo clássico pelo portador ter fala compreensível, mas sua estranheza não se deve a sua doença. Colin está entrando para o Ensino Médio, quando era mais novo o jovem tinha a companhia de uma "cuidadora" que o ajudava em tarefas simples e também a entender expressões faciais das pessoas (por isso tantas caretas e cabeças na capa). O foco da história não é Colin, mas o mistério de: QUEM LEVOU A ARMA PARA A ESCOLA ESTAVA COMENDO BOLO! E isso leva o pequeno Colin a salvar e inocentar o menino que ele mais odeia na escola, Wayne - (talvez tenha ficado muito louco essa parte da resenha, então para entender melhor, vocês devem ler!).

Colin Fischer tem a proposta de trazer humor e uma dose de reflexão - você salvaria seu inimigo? -, Colin é um personagem engraçado, divertido e observador. Ele tem suas esquisitices, que talvez não seja tão esquisito assim. Quem não é esquisito nesse mundo? 

São poucos livros com poucas páginas que realmente encantam o leitor, Colin Fischer não é um desses livros. Não, não estou dizendo que é um livro ruim, estou dizendo que o livro poderia ser bem melhor (visto que são dois autores que escrevem). Sinto que faltou a proposta do livro: o mistério ou a ação de saber quem levou a arma para a escola, bem tecnicamente é descoberto que levou a arma, mas não deu para sentir a emoção de saber quem era (não foi como Scooby-Doo, olha que eu amo Scooby-Doo).

A escrita é muito leve e flui muito rápido, isso enriquece a leitura ainda mais. E percebo que Ashley e Zack poderiam ter desenvolvido um livro muito bom, mas não deram tanto para finalizar o livro de uma forma "certa", alguns livros são assim, tem tudo para ser bom, mas o autor não faz ser bom. Ou talvez não seja o livro lido no tempo certo (eu acredito que existem livros para o dia ou tempo certo, vale o humor, problemas ou todos as outras adversidade que o mundo propõe ao leitor). 

Se destaca a amizade, ou talvez, o amor pelo próximo. Quem ajudaria alguém que não gosta? Colin ensina isso, que deve se fazer o correto. Que é possível vencer barreiras, por mais que a sua doença ponha obstáculos é possível seguir adiante. Porque ele é normal assim como várias outras crianças. 

2 comentários

  1. Até que curti Colin Fischer, mas concordo que não se trata de um livro realmente marcante; é apenas uma história leve, divertida, para ler rapidinho.
    Só discordo de uma coisa: "são poucos livros com poucas páginas que realmente encantam o leitor". Um dos meus autores preferidos (Martin Page) escreve livros fininhos e posso dizer que me surpreendi com cada um deles. =)

    Bjos, Livro Lab

    ResponderExcluir
  2. Até que curti Colin Fischer, mas concordo que não se trata de um livro realmente marcante; é apenas uma história leve, divertida, para ler rapidinho.
    Só discordo de uma coisa: "são poucos livros com poucas páginas que realmente encantam o leitor". Um dos meus autores preferidos (Martin Page) escreve livros fininhos e posso dizer que me surpreendi com cada um deles. =)

    Bjos, Livro Lab

    ResponderExcluir

© setecoisas.com.