Resenha: Uma prova de Amor

Autora: Emily Giffin
Editora: Novo Conceito
Páginas: 432
Avaliação:  ★★★★★

"A princípio, foi uma mudança sutil, como costumam ser as mudanças nos relacionam "
Prepara-se para um livro incrível, uma leitura para mulheres com certeza, mas principalmente se elas forem mãe. Mas não é um livro para quem já tem prole, indico para quem também quer ser mãe um dia. Até mesmo para homens é uma leitura agradável e deliciosa.

Claúdia Parr não é uma mulher congênere, ela nunca quis ter filhos - o que é bem contrário a realidade, pois muitas mulheres querem ter filhos. Não ter esse desejo por carregar uma barriga durante nove meses e "doar" o resto da sua vida, levou Claúdia a vários namoros fracassados, até que ela encontra uma pessoa que pensa a mesma coisa que ela. Ben no primeiro encontro já compartilhou o mesmo pensamento que tinha por crianças, não deu outra. Logo os dois se virão juntos e encontraram bastante coisas que eles tinham em comum.

O casal de amigos - muito importante para C&B - resolvem ter filhos, porque essa é a intenção "Primeiro vem o amor, depois vem o casamento e depois… os filhos?". Ben fica extasiado quando acompanha o crescimento da barriga do casal, Claúdia se sente traída por sua amiga. De pouco em pouco Ben vai mudando o conceito e cultivando a ideia de ter um bebê. Uma coisa é bem clara desde o início do livro: Claúdia nunca vai ter bebê, ela não quer, essa decisão tomada desde jovem faz Ben escolher entre ela e o bebê, a proposta foi dada pela própria Claúdia: fazer o marido escolher entre ela ou a criança. 

Pensei que não poderia gostar de um romance da autora como Laços Inseparáveis, mas Uma prova de amor é muito mais gostoso de se ler. Com seus personagens escritos de dentro para fora, de forma tão incompleta e imperfeita, que isso os tornam tão... humanos. E bom, algumas pessoas podem não gostar do livro por achar um personagem chato demais ou manipulador demais, porém é isso que vemos no dia a dia.



"Uma prova de amor" é um livro excelente e que nos preenche de uma forma incrível, nos deixa feliz e também muito triste. Emily Giffin sabe domar o leitor, fazendo com que 430 páginas passe feito um relâmpago, que você nem perceba que as páginas passaram voando - mais um livro enorme que leio em menos de dois dias.

Além de seus personagens, a trama foi bem desenvolvida. Giffin trabalha com família, envolvendo sempre questões simples e que encontramos bastante por aí. Uma leitura recomenda para todas as amantes de um romance (fofinho) e também de questões que só podem ser resolvidas pelo coração

_DEIXE UM COMENTÁRIO

Post a Comment