Resenha: "Extraordinário", de R. J. Palacio

23 Apr 2014

Autora: R. J. Palacio
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Avaliação: ★★★★★

O extraordinário livro “Extraordinário” conquista o leitor logo de cara – pelo menos foi assim que aconteceu comigo, cara o menino é super fã de SW e além de ser carismático. Mas é a sua história que emociona e me deixa tão feliz por ter terminado a leitura. 

Algust Pullman é um garoto que sempre estudo em casa e foi alfabetizado pela mãe, mas quando essa já não dá mais conta de ensinar o garoto – cá entre nós, ela não é tão boa em matemática – decide matriculá-lo em uma escola. Os pais de Algust são super protetores, tomar essa decisão em deixar o filho ir para escola é a mesma coisa de levar um cordeiro para o abate, mas mesmo assim eles permitem que o garoto faça a escolha. E não estou dando spoiler, mas Algust que ser um garoto normal, ir para escola como todos fazem e sim, ele aceita ir para escola. 

Somos apresentados a várias perspectivas: dos amigos de Algust, da irmã, do cunhado. Uma margem eficaz, dando um efeito de realidade, de que algo dentro da história é real. E lá mesmo junto com a história de Algust Pullman encontramos muitos outros conflitos, alguns fora de conceito, mas a maioria relacionada a deformação de Algust – um garoto que deve o azar de ser um de quatro milhões em ter a deficiência (que nem ele e nem eu sabe pronunciar).

Extraordinário, para mim, seria um livro muito triste. Mas não, é um livro que extrai de cada olhar incrédulo um sorriso ou de cada sofrimento uma felicidade. É um livro feliz por si só; por seus personagens, que com suas imperfeições se tornam perfeitos, essenciais e o melhor de tudo, únicos. São crianças – como a gente – que julgam sem conhecer e podem perder um grande amigo ou um amor por puro desleixo em considerar o aspecto “beleza” – afinal o que é belo nesse mundo? 


Algust é um menino lindo, a imperfeição do seu rosto não é nada comparada a sua essência e ao seu ser. Esse fã de Star Wars ensina muito mais do que a aparência pode demonstrar. Ensina a viver – não importa se você é feio ou bonito. Você está aqui para fazer a diferença, para você ser sua própria diferença, mesmo que o universo trabalhe e faça forças para ir contra você. 

O exemplar de R. J Palácio foi o primeiro livro que escolhi ler em 2014 – desculpe estar postando só agora – e me sinto mais que feliz por ter apostado que esse livro me ensinaria algo: ver o mundo com outros olhos, ver tudo de um jeito diferente e não ligar para o fisionomia antes de conhecer. 

Acho que é clichê recomendar, porque eu só falei bem do livro, então fica mais uma dica de um livro com uma história triste que vai te deixar feliz e completo – seja por alguns instantes (para mim, um conselho para toda vida).

“A grandeza não está em ser forte, mas no uso correto da força... Grande é aquele cuja força conquista mais corações... Grande é aquele cuja força conquista mais corações pela atração do próprio coração.”


2 comentários:

  1. Sempre achei esta capa feia sabe por isso que nunca li este livro rsrsrs "não julgue um livro pela capa". Pois é acho que vou ler.
    Jéssica - LIVROS SÉRIES E MELODIAS

    ReplyDelete
  2. Esse livro é uma amor mesmo, e que conquista o leitor é o uso de assunto que deveria ser "forte" em algo super simples que prende até o final da leitura. Prendendo reler-lo <3

    Abraços
    http://muchachoonline.blogspot.com.br/

    ReplyDelete