Filme: Hoje eu quero voltar sozinho

Hoje eu quero voltar sozinho, 2014
Direção: Daniel Ribeiro
Duração: 96 minutos
Avaliação: ★★★★ 
 +GAY  +ROMANCE  +FOFURA 
"Nem todo amor acontece à primeira vista" 
Hoje eu quero voltar sozinho é a longa-metragem baseado no cuta Eu não quero voltar sozinho, já expliquei aqui no blog um pouco sobre ambos e deixei bem visado que eu queria assistir muito, muito mesmo o filme.

Hoje eu quero voltar sozinho, narrado com sensibilidade e humor, apresenta a vida do jovem Leonardo (Guilherme Lobo) na fase da descoberta, puberdade, experiência, mas também em contraposto o mundo de um jovem possuidor de deficiência visual. Ele quer conseguir a própria autonomia e independência - sair das asas dos pais super protetores e poder realizar os próprios sonhos, como viajar para o exterior ou dar o primeiro beijo. Leo está sempre acompanhando de sua melhor amiga Giovana (Tess Amorim), mas com um novo aluno na sala de aula Giovana vai perdendo o seu posto para o recém chegado Gabriel (Audi), que irá despertar sentimentos mais fortes do que amizade.   

As cenas mais fofas do filmes são trilhadas por fundos musicais maravilhosos, uma das cenas mais legais é introduzida ao som de “There´s Too Much Love”, de Belle & Sebastian. O diretor trabalhou bem na trilha sonora, colocando Gabriel com uma perspectiva mais pop e descolocada e Leo como apreciador de música clássica, dessa forma dá para se obter algo mais concreto dos personagens, como suas personalidades ou o psicológico.


O filme dirigido por Daniel Ribeiro é fenômeno mundial e, fico muito feliz, por saber que o cinema brasileiro ganha tamanho destaque no exterior, mas creio que seria impossível tanto sucesso sem a eficácia e vontade dos atores em atuar, em poder tornar tudo tão real; eu não estou falando só por falar, Tess Amorin, Guilherme Lobo e Fabio Audi atuam muito bem, muito bem mesmo, chega a ser tão intrínseco, tão real e gostoso de assistir. Dá para observar nas feições de como os personagens se sentiam ou o que queriam transferir isso para o público, é daquelas atuações que faz você querer assistir o filme um bilhão de vezes seguidas.   


A homossexualidade sempre existiu, mas ainda é algo que espanta muitas pessoas ou causam repulsa de uma forma inexplicável, o longa trouxe o de melhor, mostrando que não é de qualquer forma que acontece, que como o Leo algumas pessoas descobrem com a aproximação de alguém, que ali quando ele se descobre não muda o seu jeito de ser. Daniel Ribeiro capta a realidade de contrapartida do jovem em relação ao mundo a sua volta e como um relacionamento homossexual é banalizado ou mal visto, sempre dando uma leveza e sutilidade a cada instante. 

Um filme super recomendado, para ver com outros olhos a faceta dos gostos ou liberdades. Para compreender que é mais simples do que parece. 
Como faz para devolver um beijo roubado? 

_DEIXE UM COMENTÁRIO

  1. Já tinha assitido ao curta e tinha amado, imagina se não vou amar o filme também! Concordo contigo quando diz que o cinema brasileiro está se destacando, e concordo mais ainda quando fala que a vontade dos atores de atuar muda completamente a cena! Ótima resenha, mal posso esperar pra ver o filme nas telonas!
    http://pseudobailarina.blogspot.com.br/

    ReplyDelete
  2. Eu assisti ao curta e gostei muito e agora estou louca para ver o longa! Infelizmente não tem o filme em cartaz aqui na minha cidade, mas espero ter a oportunidade de ver logo.

    Beijo,
    Naty.

    ReplyDelete
  3. Hoje eu quero voltar sozinho é em si, um dos melhores filmes brasileiros que eu já vi! Sem dúvidas ele é um filme com uma temática totalmente diferente de tudo o que eu já vi no cinema brasileiro, pois ele só não trata de abordar temas como a homossexualidade, um tema em si muito polêmico, ainda mais no Brasil (ainda bem que a homossexualidade está deixando aos poucos, ~com passos de bebê ainda~ de ser um tema polêmico e algo que é mal visto, o qual eu acho totalmente ridículo se pensar isso, mas enfim...), mas também porque o protagonista é um jovem que possui uma deficiência e ainda por cima é gay. Eu de cara me apaixonei pelo filme que explora muito esse preconceito totalmente desnecessário e tem tudo muito bem amarrado, tudo é muito perfeito, haha.
    Acho muito legal o cinema brasileiro estar se destacando aqui no Brasil e no exterior, isso é uma coisa muito boa! Concordo plenamente que a vontade dos atores atuar muda completamente a cena, te faz mostrar que aquilo é real, acho que esse é o toque final pro filme. O personagem do Léo é o meu favorito, ele tem um espaço reservado no meu coração. <3
    Eu adorei a tua resenha Igor (e me desculpe pelo mega comentário), muito bem feita e te faz querer ver o filme repetidas vezes. Em falar nisso, vou correr assistir de novo, porque fiquei com saudades! <3
    Um super beijo, Cores de Dezembro

    ReplyDelete
  4. Um filme interessante que, embora o tempo deixou, é um dos meus favoritos. Participou ator Cesar Troncoso que agora continuo vendo O Hipnotizador uma nova série , se você gosta de atos como esse ator, eu recomendo que você vê-lo.

    ReplyDelete