Resenha: O Lírio Dourado


Autora: Richelle Mead
Editora: Seguinte
Páginas: 424
Avaliação: ★★★★★
Série: Bloodlines, volume 2.

Assim como todos os livros que são de série, trilogias e sagas não é recomendado ler resenhas de continuações. 1. pode haver spoilers e 2. posso deixar você ainda com mais vontade de ler. Se quiser continuar lendo a resenha assim mesmo, recomendo que leia a do primeiro volume da série, Laços de Sangue. 
Nada é tão inofensivo quando parece. 
Depois de simplesmente adorar Laços de Sangue, necessitava continuar lendo o spin-off e continuo proclamando que se o spin-off é tão bom assim, imagine a série Acadêmia de Vampiros

A história continua praticamente onde Laços de Sangue terminou - com um final chocante - e ainda estamos concentrados na missão importantíssima de manter a princesa Jill a salvo. Porém Sydney - a protagonista que me encantei logo de cara - está tendo o seu primeiro encontro, com um cara que é praticamente igual a ela: metódico, inteligente, nerd (bom, eles tem conversas de CDF, vamos sair num encontro e vamos falar sobre tecidos? Estátuas?). Além da segurança de Jill e estar se saindo super bem no seu encontro com o carinha dos sonhos (pelo menos para ela), Syd passa a ter contato com a magia.

Não basta lidar com os problemas pessoais ou fazer as necessidades do seu "trabalho". Syd tem que cuidar dos moroi, não que seja obrigada, mas se sente necessitada. Mas todo o esforço da jovem alquimista é compensado com belos elogios, sendo até exemplo no grupo, por sua lealdade e obediência. Porém, seu exemplo de pessoa logo será testado quando um grupo estranho começa ameaçar ela e seus amigos dampiros e vampiros. O que será que essa "mãe" fara? Sydney é uma pessoa durona, será que aguentará ficar sem fazer nada? Só lendo você vai descobrir. 
"Se seus olhos não estivesse abertos, você não saberia a diferença entre sonhar e estar acordado."
A aventura desse livro é tão deliciosa quanto do primeiro ou ainda melhor: preenchido de uma leitura agradável e rápida, cujo a autora deixa o leitor atordoado a ler até o final. E já não basta somente a história do primeiro livro, porque Mead acrescenta muita história no segundo volume de Bloodlines, deixou o leitor e a mim ainda mais dentro do enrendo. 

Já falei e vou falar novamente, nenhum livro pode (poder pode, mas não deve) ser construído sem personagens marcantes ou contagiantes. Quem não gostar de Syd pode gostar do - como dizem as meninas - maravilhoso Adrian, Jill, Eddie ou até mesmo de Juarez. E o melhor de tudo que seus personagens sempre escondem algo, não que esteja estampado, mas você sente que nos próximos volumes os personagens estarão diferentes e te surpreenderam ainda mais. 

O Lírio Dourado termina com um final monstruosamente do mal, a Ruiva não teve dó - deixou um spoiler do bem para as fãs de Adrian, que o final promete. Está claro: quando você termina esse exemplar você precisa do próximo. Uma leitura gostosa, simples e recomendada. 

  1. http://www.des1gnon.com/2014/02/50-recursos-de-referencias-essenciais-para-designers/

    http://www.des1gnon.com/2014/01/as-tendencias-no-design-de-2014/

    http://logopond.com/gallery/?month=&year=&filter=&page=11

    ReplyDelete