Resenha: Feitiço

15 Mar 2014

Autora: Sarah Pinborough
Editora: Única
Páginas: 256
Avaliação: ★★★★★
Série: Encantadas
"Toda beleza é magia."
 Feitiço é o volume que dá continuação a série Encantadas, saga iniciada por Veneno, a escrita desencadeada em terceira pessoa continua também neste volume, mas agora com os olhos em outra princesa: Cinderela. 

Cinderela é como nas raízes que a conhecemos, doce e ingênua, mas agora também (com os dedos mágicos de Sarah) invejosa e egoísta. A história é a mesma, Cinderela é detestada por sua madrasta e, suas supostas "irmãs" pisam na coitada como se Cind fosse uma escrava, ignorada por seu pai; a única pessoa que a ajuda é um ladrão bom feitor, que ajuda pessoas com necessidades. A fada madrinha, não tem nada de fada, mas sim, ela é uma bruxa maléfica. A vida de Cinderela já é horrível, mas será que essa vida não pode ficar mais infeliz? Os sapatinhos de cristal, o príncipe encantado e o vasto reino serão as soluções para os seus problemas? 

"Sua vida ia ser tão ruim assim para sempre? Só trabalho, só ficar na sombra de Rose e de Ivy? A irmã de criação pobre? A plebeia? Talvez fosse como tinha que ser, mas ela só queria uma noite. Uma noite apenas em que se sentisse especial. ... Só um baile, desejou ela. Ela queria poder ir ao castelo pelo menos uma vez."
Feitiço é uma leitura rápida e chega até ser envolvente, é contado na forma de um conto mesmo, não é uma leitura frenética, mas dá para entreter o leitor durante boas horas. Ver como a donzela supostamente perfeita age imperfeitamente na história é totalmente inovador, pois dessa forma tornamos essa personagem ainda mais humana. Para mim, Sarah Pinborough ia abordar cada conto de fada em um livro, mas ela conectou as três histórias, fazendo com que uma levasse a outra. E não basta apenas história de três princesas, ela acrescenta outros  contos durante toda a "cena" principal. 
"Ela apenas supunha que eles ia se apaixonar se tivessem a oportunidade, como se o amor fosse algo fácil e não precisasse de nada além de um rostinho bonito e de uma grande vontade de amar."
Eu gosto da escrita da autora, é uma escrita leve e fácil de ser tragada. Chego a subestima-la, mas no final, suas palavras e sua história sempre me despertam querer mais, em querer um novo-velho conto distorcido e mais adulto. 

Mais uma vez a Editora Única fez um trabalho magnífico, tanto na capa quanto na diagramação do livro, a cada novo capítulo ou termino de um. Esse trabalho para com o leitor deixou ainda mais mágico a leitura e porque não apreciativa? Topa a ler? Venha me falar o que achou depois! 

0 comentários:

Post a Comment