Resenha: "O Alegre Dramático", João Donizete Ferreira

Autor: João Donizete
Editora: Novo Século
Páginas: 157
Avaliação: ★★★★★

“A vida não está no que foi nem no que será; está no presente, no momento da última respiração.”
“O Alegre Dramático” é um livro puramente brasileiro e é também surpreendente: ele não aborda um problema chave, não se desenvolve em torno de uma confusão. A história se constrói por si só, como a vida. Força do destino ou não, é viver: um dia após o outro, com surpresas ou com perdas. Com suas palavras Donizete toca o leitor de uma forma incrível e preenche este com o que o Brasil tem de melhor, cultura, amor, amizade... 

“A felicidade, se não é uma razão para viver, é motivo para nos manter vivos.”
Eu estava precisando de um livro simples e intenso, mas de leitura rápida. O Alegre Dramático com suas 159 páginas me gracejou, me presenteou com uma cultura diferente da qual não estou acostumado – e é por que moro nesse país desde quando nasci. 

Ângelo é um personagem extra poético; Acostumado com o aspecto brasiliense, quando ele chega ao paradisíaco Rio de Janeiro, logo se apaixonada por toda a adversidade do local, as pessoas, a cultura e a natureza. Seu objetivo é zelar o ateliê de arte do seu amigo, que quase não fica no país. Sozinho na agitação do Rio, percebe o quanto está ficando entendiado a cada dia, sobrevivendo pela ansiedade, solidão e do seu próprio ócio, até que ele decide dar uma repaginada e procura um emprego. Esse novo serviço o apoiara em manter a mente ocupada e poder fazer amigos. Mas será que trabalhar numa lanchonete é uma boa ideia? Deus escreve certo nas linhas tordas; a sorte pode bater na sua porta na hora que você menos espera e quando ela vem, você não pode deixar ela ir embora. 

João Donizete Ferreira criou uma obra que eu estava esperando há muito tempo, um romance que falasse do Brasil, na sua forma mais integra. Que mostrasse o que o Brasil tem de melhor: sua cultura miscigenada, seu canto, sua arte e seu samba; a felicidade estampada na face de muitos, a essência de ser brasileiro e amar o que é seu. Amar esse Brasil. E aí me toco que precisamos de pessoas como Ângelo: que tenha coragem e orgulho de dizer “essa aqui é minha terra”. 
“Eu era a transformação. Uma transformação física, visível. Minha voz oscilava entre o agudo e o grave.” 
Talvez O Alegre Dramático não agrade todos os seus leitores, por não ser o tipo de opção que os jovens gostam ou por não gostarem da cultura brasileira – carnaval, favelas... Eu não gosto de carnaval, mas aprendi a ver de uma forma diferente, que o samba tem uma força de deixar as pessoas alegres ou até mesmo esquecerem os seus problemas, que lá no desfile das escolas, eles podem dar o seu melhor e também expressar sua cultura e arte.

Uma história de superação e força de vontade, cheio de reflexão - talvez seja por esse motivo que me dei tão bem com esse livro. Uma leitura recomendada para quem preza valores de amizade, amor e realizações (assim como outras coisas). Traçando caminhos que jamais imaginamos acontecer com nós mesmos. 

  1. É ótimo ver pessoas lendo livros brasileiros por aí, também estou lendo mais livros nacionais e sempre que me deparo com um livro novo, fico com vontade de conhecer o jeito que o autor retratou nosso país.

    Thoughts-little-princess.blogspot.com

    ReplyDelete
  2. É muito bom saber que tem um autor brasileiro de qualidade chegando pra ficar.
    João Donizete nos apresentou uma belíssima obra. Seu primeiro livro já mostra sua independência literária. Ele tem pegada para escrever. Seu estilo é carregado de poesia e arte. Ele nos mostra um mundo mais leve, mais sutil, o mundo fantástico com que todos nós sonhamos. Parabéns e sucesso ao autor.

    ReplyDelete