Resenha: "Seis coisas impossíveis", de Fiona Wood

Seis Coisas ImpossíveisAutora: Fiona Wood
Editora: Novo Conceito
Páginas: 272
Avaliação: ★★★★
Um choque de realidade, de cada vez, por favor.
Suas únicas distrações são sua vizinha perfeita, Estelle, e uma lista de coisas impossíveis de fazer, como: 
1. Beijar a garota. 
2. Arrumar um emprego. 
3. Dar uma animada na mãe. 
4. Tentar não ser um nerd completo. 
5. Falar com o pai quando ele liga. 
6. Descobrir como ser bom e não sair abandonando os outros por aí... 

Mas impossível mesmo será: 
1. Não torcer para que Dan supere seus problemas. 
2. Não rir muito com os devaneios dele. 
3. Não querer ter um cachorrinho como Howard. 
4. Não desejar que a mãe de Dan encontre a felicidade. 
5. Parar de ler este livro. 
6. Não querer abraçar o livro depois de tê-lo terminado.

''Seis coisas impossíveis''  é um daqueles livros rápidos de um ou dois dias - no meu caso um. Possui uma escrita leve, calma, sádica e é perfeita para passar o tempo. Te tira da rotina com sorrisos singelos. Além de retratar bastante a atualidade - escolhas sexuais/homossexualidade - é trazido um conforto pela visão de um adolescente em plena puberdade, cujo problemas só pioram cada vez mais com o avanço da leitura. 

Fiona Wood possui um escrita que destaca - por esse ser o seu primeiro livro e não só por isso - pela maneira inusitada e maestria da autora em abordar diversos assuntos em uma trama, como resolver vários problemas de uma lapada só. 

Publicado em outubro de 2013, a aposta da Editora Novo Conceito foi eficaz, para mim. As duzentas e setenta e duas páginas passam muito rápido e nem me dei conta que já tinha acabado, construído de uma simplicidade, mas cheio de reviravoltas. Uma delícia. 
"O importante não é aquilo que se tem, mas o que se faz. É claro que nós já sabemos disso em teoria, mas tivemos a sorte, sim, de poder testar essa teoria. E é verdade mesmo." Página 220
A ironia de Dan contribui para a eficácia de todo o livro, deixo-o alegre e descontraído, o personagem em si é engraçado, maduro e completamente abaladiço. A autora preservou os traços masculinos e não os tirou de Dan, com isso nota-se o empenho que Wood teve para criar um personagem de sexo oposto, visto que seria mais fácil criar um personagem de seu mesmo sexo. Desde o começo ao fim do livro, Dan se encontra apaixonado e com a autoestima lá pra baixo, invés de ser uma leitura depressiva, dos problemas do protagonista o leitor tira as demasiadas risadas.

Seis coisas impossíveis: é um livro muito bom e proporciona uma leitura muito dinâmica - capítulos rápidos sem muitas delongas. Uma das coisas impossíveis é deixar de indicar esse livro, por mais que seu enrendo não seja tão grandioso, a habilidade da autora em conduzir a história e o modo que promove os acontecimentos nos deixa bem feliz.  
"Olho para baixo. Minha calça também está curta demais. Isso é bom. Pelos no rosto, nariz inchado, olho roxo, roupas que não me servem direito - esse lance de me tornar um cara descolado está dando super certo" Página 83

_DEIXE UM COMENTÁRIO

  1. Esse livro é maravilhoso! Fiquei feliz em saber que ele é divertido!
    Parabéns pela resenha!

    depoisdeumlivro.blogspot.com
    espero sua visita (:

    ReplyDelete
  2. Nunca escutei falar , mais parece ser muito interessante , beijos !
    http://sdviver.blogspot.com.br/

    ReplyDelete
  3. Fiquei mais interessada ainda agora rs... gosto muito desses livros assim leve e divertido. Não sabia que era uma autora ~aliás não tinha prestado atenção~ bem legal ela ter feito um livro como você falou, com personagem do sexo oposto. =D

    http://nerdicesdeumagarota.blogspot.com.br/

    ReplyDelete
  4. Gosto de livros com escritas leves e esse tem uma boa história.
    Amei sua resenha. beijinhos e boas festas

    ReplyDelete
  5. Eu não conhecia o livro, já quero!
    Beijos, beijos!

    Dearitgirl.blogspot.com.br

    ReplyDelete
  6. Oi Igor! Também gostei bastante dos problemas abordados no livro, mas fiquei um pouco decepcionada, pois já tinha certas expectativas. No entanto, toda essa magia do primeiro amor deu um Q a mais e a parte do baile foi uma gracinha!
    Gostei bastante de sua resenha ;)

    Beijinhos! www.primeiro-livro.com

    ReplyDelete